XP Expert

Bolsas internacionais recuperam-se após preocupação com coronavírus na China

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,5% | 117.026 Pontos

CÂMBIO 0,6% | 4,21/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa caiu 1,5% ontem para 117.026 pontos seguindo a preocupação do mercado internacional após um turista chinês ter sido diagnosticado com o coronavírus em Seattle, nos Estados Unidos. Segundo a Comissão de Saúde Nacional da China, o vírus já matou nove pessoas e contaminou outras 440. A queda das bolsas dos EUA ontem foi a maior desde agosto.

Nesta manhã, os mercados internacionais operam em território misto, com as bolsas na Europa e futuros nos EUA de lado, enquanto a Ásia demonstrou ligeira recuperação. Vale destacar o impacto do coronavírus nas ações de companhias aéreas, shoppings e segmento de luxo, além do rebaixamento da Moody’s sobre as condições de crédito em Hong Kong, indicando ligeira piora do sentimento na região.

O anúncio da Boeing sobre a volta das aeronaves modelo 737, apenas no segundo semestre, também contribui negativamente. Por fim, ontem o resultado da Netflix veio ligeiramente abaixo do consenso, enquanto o da IBM excedeu expectativas. Hoje, reportam Johnson & Johnson e Raymond James.

Em Davos, Paulo Guedes mostrou confiança na aprovação da reforma tributária nesse ano. Segundo o Ministro, a proposta será enviada em fatias a uma comissão mista do Congresso para evitar confronto de PECs. O Ministro também disse no Fórum que o Brasil voltou a crescer, e que deve registrar altas do PIB em 2019 e 2020 de 1.2% e 2.5%, respectivamente. De acordo com Guedes, “Tirando EUA e China, o Brasil é hoje a maior fronteira de investimentos do mundo.”

Ainda em Davos, Trump listou uma série de realizações em seu mandato, como o menor nível de desemprego nos últimos 50 anos e aumento de investimento estrangeiro, além de ter reiterado sua promessa em seguir com corte de impostos para a classe média. Em seu discurso, passou a mensagem ao Fed de que acredita na possibilidade de novos cortes de juros, e disse que leva a sério a imposição de tarifas sobre automóveis europeus se não conseguir chegar a um acordo com o bloco.

Já o secretário do secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, disse durante o painel “O futuro dos mercados financeiros”, que não há prazos para que os EUA fecharem a segunda fase de um acordo comercial com a China. Segundo Mnuchin, o foco agora é implementar o acordo comercial de fase 1, assinado no último dia 15, nos próximos 30 dias. Mnuchin afirmou também que a prioridade dos EUA em 2020 é fechar um acordo comercial com o Reino Unido.

Na América Latina, Axel Kicillof, ex-ministro das Finanças e atual governador de Buenos Aires, anunciou que seus credores terão até semana que vem para decidir se aceitam um atraso de três meses no pagamento de US$ 250 milhões de parte da dívida externa, aumentando a percepção de risco para o país.

Do lado das empresas, o Ministério Público de MG indiciou 16 pessoas ligadas a Vale e Tuv Sud pela tragédia de Brumadinho, incluindo o ex CEO Fabio Schvartsman. Nossa interpretação é de impacto limitado para as ações da Vale, pois não estimamos aumento das provisões relacionadas ao caso.

Sobre o setor de construção civil, a EZTec (EZTC3) publicou sua prévia operacional referente ao 4T19. Vemos sua performance operacional como positiva, em linha com a nossa perspectiva para o segmento e para a companhia para os próximos anos. Consequentemente, mantemos a nossa visão positiva e recomendação de compra para a ação.

Também publicamos hoje um relatório atualizando as nossas estimativas e preços-alvo para as empresas da nossa cobertura de varejo. Apesar de não acreditarmos que os múltiplos do setor estejam em níveis exagerados, ressaltamos que as expectativas dos investidores têm ficado cada vez mais altas. Dessa forma, temos preferência por empresas com (i) forte crescimento de lucro e / ou (ii) maior visibilidade em relação aos resultados. Nossas principais recomendações são Vivara (VIVA3), Lojas Renner (LREN3) e Via Varejo (VVAR3). Link

Por fim, publicamos ontem nossa visão sobre a temporada de resultados do 4º trimestre (4T19) para os setores de bancos, siderurgia e papel e celulose. A próxima segunda-feira (27 de janeiro) marca o início da divulgação dos resultados das empresas, para saber mais sobre nossas estimativas, bem como comentários por empresas e setores selecionados, clique aqui.

Tópicos do dia

Temporada de resultados do 4º trimestre

Clique aqui para acessar o calendário completo
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados

Brasil

  1. Política Brasil: Ramos entrega a Maia lista de 15 prioridades
  2. Governo deve apresentar a carteira do Programa de Parcerias de Investimentos em Davos

Internacional

  1. Política Internacional: Coronavírus e impeachment são destaque do dia

Empresas

  1. Prévia do 4T19: Recuperação econômica e bons resultados das empresas
  2. As ações de varejo estão caras demais?
  3. EZTec (EZTC3): Prévia operacional do 4T19, em linha com nossa perspectiva positiva com a companhia
  4. EDP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 4T19
  5. Multiplan (MULT3): Conclusão da aquisição da participação do DiamondMall
  6. Iguatemi (IGTA3): Companhia oficializa aumento de participação no Praia de Belas e Shopping Center Esplanada
  7. Ambev (ABEV3): CARF mantêm parte da autuação de R$ 2 bilhões
  8. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): China estaria buscando descontos sobre carne importada do Brasil
  9. Setor Financeiro: Presidente da Caixa fala sobre a possibilidade de IPO da Elo

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Ramos entrega a Maia lista de 15 prioridades

  • Luiz Ramos, responsável pela articulação, teria entregue a Rodrigo Maia uma lista de 15 prioridades. Entre elas a mudança no marco regulatório das PPPs, o projeto do Senado de segurança das barragens, o novo Código de Trânsito e a PEC que desobriga a inscrição de profissionais em conselhos de classe.

Governo deve apresentar a carteira do Programa de Parcerias de Investimentos em Davos

  • De acordo com o Estadão, a delegação brasileira no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, terá um encontro nesta quarta-feira, 22, com 20 grandes investidores para apresentar a carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI);
  • O governo deve apresentar todos os 115 projetos já estruturados ou em fase de estudo que compõem a carteira para 2020 e 2021, que equivalem a R$ 320 bilhões, sendo R$ 264,1 bilhões em investimentos e outros R$ 55,5 bilhões em privatizações;
  • Um dos principais pontos da lista será o leilão do 5G que, de acordo com o governo, está previsto para o segundo semestre desse ano. As estimativas iniciais de valor da outorga mais os investimentos ficam em torno de R$ 20 bilhões.

Internacional

Política Internacional: Coronavírus e impeachment são destaque do dia

  • O coronavírus, que já matou pelo menos 6 pessoas, teve um caso confirmado no estado de Washington. O paciente teria visitado recentemente a província Wuhan. Após alerta de autoridades chinesas de que o vírus pode sofrer mutação e continuar se espalhando, a OMS avalia declarar o surto como emergência internacional de saúde pública;
  • O senado americano iniciou o julgamento do impeachment de Donald Trump nessa terça-feira (21). Durante a sessão de 13 horas, as regras para o processo apresentadas pelo presidente da Casa, Mitch McConnel, foram alvo de enfrentamento entre democratas e republicanas. Em vitória para Trump, as onze emendas apresentadas pelos liberais foram rejeitadas, a maioria por 53 a 47 votos, ou seja, obedecendo as linhas partidárias. Lembramos que os republicanos têm 53 senadores, os democratas 45, e há 2 independentes;
  • Foi definido, até o momento, que não serão admitidas novas provas, mas a decisão sobre a admissão de novas testemunhas deve ser discutida novamente na semana que vem, após argumentos iniciais da defesa e dos “promotores”.

Empresas

Prévia do 4T19: Recuperação econômica e bons resultados das empresas

  • A próxima segunda-feira (27 de janeiro) marca o início da divulgação dos resultados das empresas referentes ao quarto trimestre de 2019 (4T19). Depois de ter surpreendido as expectativas no 3T19, a atividade econômica brasileira deve continuar apresentando trajetória gradual de recuperação no 4T19. Com base nos dados disponíveis até o momento, acreditamos que o PIB apresentará expansão de +0,5% na comparação trimestral do 4T19 (4T19/3T19) e de +1,6% com relação ao mesmo trimestre do ano anterior (4T19/4T18);
  • Ainda que os indicadores setoriais de novembro apontem para uma leitura mais modesta do que se imaginava no início do trimestre, o crescimento que até então encontrava-se concentrado na recuperação do setor varejista deve continuar sendo apresentado também por outros setores da economia. Para saber mais sobre nossas estimativas, bem como comentários por empresas e setores selecionados, clique aqui para acessar o relatório completo

As ações de varejo estão caras demais?

  • Desde a nossa última atualização do setor de varejo, publicado em 26 de novembro (veja no link),  as ações da nossa cobertura mostraram um desempenho muito positivo, com uma alta de 35% vs. 9% para o Ibovespa. Com isso, o múltiplo P/L médio de 12 meses do setor atingiu 27,5x atualmente (excluindo o Magazine Luiza) – 40% acima da média de cinco anos;
  • Nesse contexto, a principal questão levantada pelos investidores é: Será que as ações de varejo estão caras demais? Nós acreditamos que não. Na realidade, mostramos que o prêmio de risco do setor até melhorou nos últimos 12 meses;
  • De qualquer forma, os múltiplos atuais também refletem as altas expectativas dos investidores e, portanto, deixam claro que há pouca margem para erro por parte das empresas. Sendo assim, temos preferência por empresas com (i) forte crescimento de lucro e / ou (ii) maior visibilidade em relação aos resultados. Nossas principais recomendações são Vivara (VIVA3), Lojas Renner (LREN3) e Via Varejo (VVAR3);
  • Clique no link para acessar o relatório completo.

EZTec (EZTC3): Prévia operacional do 4T19, em linha com nossa perspectiva positiva com a companhia

  • EZTec apresentou velocidade de vendas trimestral de 25%, melhor patamar desde 2012 (excluindo o impacto positivo da venda das duas torres do projeto EZ-Towers no 1T13 e 3T17). Essa performance corrobora com a nossa visão positiva para o setor e para a companhia nos próximos anos.
  • A maior contribuição, tanto nos lançamentos quanto nas vendas do 4T19, foi do projeto EZ Parque da Cidade em São Paulo.
  • A velocidade de venda dos lançamentos no trimestre foi de 37%, o que consideramos como positivo e indica a forte demanda para projetos de média e alta-renda nas regiões próximas à cidade de São Paulo.
  • O volume de distratos nos últimos doze meses continua em queda, atingindo R$ 88milhões (versus venda bruta de R$ 1.650milhões no mesmo período). Este é o menor volume de distratos dos últimos anos e corrobora com a recuperação do setor (maior demanda e menos distratos).

EDP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 4T19

  • Ontem a EDP divulgou suas informações operacionais referentes ao 4T19. Os principais destaques foram:  (i) no segmento de distribuição, o volume de energia distribuída apresentou aumento de 1,7% no trimestre, dividido em um crescimento de 2,5% no volume de clientes cativos e de 0,7% para clientes livres,  (ii) em geração, o volume de energia vendida pelas usinas hidrelétricas teve um aumento de 31,4% no trimestre e (iii) em comercialização, o volume de energia comercializada teve uma queda de 5,4% T/T e de 22,1% A/A;
  • O aumento no volume de energia nas distribuidoras reflete o efeito positivo da recuperação da atividade econômica e das condições climáticas no período, ligeiramente compensados pela contração da produção industrial;
  • O aumento no volume de energia vendida pelas usinas hídricas é reflexo da gestão integrada de portfólio da geração e da comercialização, que resultou em aumento no número de contratos bilaterais com a comercializadora, bem como da estratégia de sazonalização, hedge e gestão de caixa adotados pela Companhia. Tal maior alocação de capacidade de geração, aliada à melhores preços de energia no mercado de curto prazo no 4T19 deverão levar à uma recuperação de margens de compra e venda de energia em relação ao trimestre anterior;
  • Vemos o resultado operacional como positivo para a empresa dado que reflete a natureza cíclica do negócio de distribuição de energia, ao qual a EDP tem exposição nos estados de São Paulo e Espírito Santo. Também vemos a estratégia de alocação sazonal de geração e comercialização de energia como positiva. Mantemos recomendação de compra na EDP com preço-alvo de R$26/ação.

Multiplan (MULT3): Conclusão da aquisição da participação do DiamondMall

  • A Multiplan anunciou ontem a conclusão da aquisição de 50,1% da participação no shopping DiamondMall, do Clube Atlético Mineiro, localizado em Belo Horizonte (BH), em conjunto com a prorrogação do contrato de arrendamento do terreno em questão para 2030. A transação havia sido anunciada em 2017, e o valor efetivo ficou em R$ 296,8 milhões. Vemos o conjunto entre a aquisição do terreno e as condições do contrato como positivas. Em termos de projeções, estimamos um impacto limitado, dividido entre (i) redução marginal na linha de custos a partir do momento em que a o custo de arrendamento diminuir (a partir de 2024 até 2030) e (ii) leve crescimento na receita total da companhia entre 2026 e 2030, período em que a participação da Multiplan nas receitas aumenta;
  • Em resumo, além da aquisição de 50,1% do terreno, o acordo compreende a redução do custo do arrendamento que antes era de 15% da receita do empreendimento para ~7,5% a partir de 2024. Além disso, a expectativa é que entre 2026 e 2030 a Multiplan passe a se apropriar de 100% da receita do ativo (vs. os atuais 90%). A partir de dezembro de 2030, quando o contrato de arrendamento cessar, a Multiplan passa a se apropriar de 50,1% da receita do ativo (proporcional à sua participação no terreno).

Iguatemi (IGTA3): Companhia oficializa aumento de participação no Praia de Belas e Shopping Center Esplanada

  • A Iguatemi anunciou ontem à noite a conclusão da aquisição de 20% do Praia de Belas Shopping Center, em Porto Alegre/RS, e 15% do Shopping Center Esplanada, em Sorocaba/SP, que havia sido anunciada em Novembro de 2019;
  • A receita dos últimos 12 meses do Praia de Belas Shopping em relação ao total representou ~6,6% enquanto as do Shopping Center Esplanada representou ~5%. Vemos o movimento como alinhado à estratégia da companhia de aumentar sua relevância nos ativos atuais.

Ambev (ABEV3): CARF mantêm parte da autuação de R$ 2 bilhões

  • Segundo o Valor, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) manteve ontem a maior parte de uma cobrança de Imposto de Renda (IRPJ) e CSLL da Ambev por uso de créditos referentes a tributos pagos no exterior por empresas do grupo. Foram analisadas quatro autuações fiscais, no valor de pouco mais de R$ 2 bilhões;
  • No julgamento dos valores referentes a 2015, o relator, conselheiro Carlos André Soares Nogueira, representante da Fazenda, afirmou que não há possibilidade de aproveitar o IR pago no exterior em 2014 para zerar o valor devido no Brasil em 2015 e ainda receber ressarcimento do imposto;
  • No Formulário de Referência de 2019, a Ambev apresenta apenas um desses processos, sobre IRPJ em 2016, no valor de R$ 1,6 bilhão. O risco foi considerado possível. A companhia, porém, não informa se o valor foi provisionado.

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): China estaria buscando descontos sobre carne importada do Brasil

  • Segundo o Valor, o movimento de renegociação dos contratos chineses de carne bovina importada do Brasil levou alguns frigoríficos a trabalhar com margens negativas nas exportações;
  • Na indústria frigorífica brasileira – em especial as de pequeno e médio porte -, o humor quase não lembra o clima de euforia vivido poucos meses atrás. No auge, a margem de contribuição chegou a 20%, mas os novos contratos e os renegociados embutem uma margem de 8% a 9%;
  • Por outro lado, exportadores brasileiros acreditam que a demanda será retomada, já que a oferta na China continua apertada, e a esperança é que, após as festividades do Ano Novo Lunar, o mercado chinês comece a se equilibrar;
  • Em outra notícia do setor, a Alemanha confirmou nesta semana o primeiro caso de grive aviária (do tipo H5N8), verificada em um pássaro selvagem no estado de Brandenburg, próximo à fronteira com a Polônia. Segundo fala do Ministério da Agricultura, trata-se de um caso individual que não envolve frangos de fazendas. As autoridades seguem monitorando evoluções do caso já que surtos já foram verificados em países vizinhos como Eslováquia, Hungria e República Tcheca, além da própria Polônia, desde o final do ano passado.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.