Relatório Mensal – Fundos e Previdência – Outubro/2018

Panorama Mensal Os fundos multimercados apresentaram retorno de 0,47% em setembro, equivalente a 99,7% do CDI, de acordo com o Índice de Hedge Funds da Anbima (IHFA). No ano, o indicador acumula rentabilidade de 100,7% do CDI. Observamos em setembro grande disparidade entre os resultados dos fundos que compõem o índice. Ao contrário do que […]


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Panorama Mensal

Os fundos multimercados apresentaram retorno de 0,47% em setembro, equivalente a 99,7% do CDI, de acordo com o Índice de Hedge Funds da Anbima (IHFA). No ano, o indicador acumula rentabilidade de 100,7% do CDI.

Observamos em setembro grande disparidade entre os resultados dos fundos que compõem o índice. Ao contrário do que ocorreu em agosto, os fundos da estratégia Long Biased e Long Short Direcional, que buscam oportunidades na bolsa através de posições compradas e vendidas, foram os destaques positivos, em um mês que o Ibovespa apresentou alta de 3,48%. Entre os fundos com abordagem Macro, que representam mais de 70% do índice, tivemos retornos mistos e notamos que os gestores que buscaram maior exposição a risco em ativos internacionais foram os grandes ganhadores no período.

O mês foi marcado pela grande instabilidade política gerada pelas eleições presidenciais no Brasil e por um arrefecimento das tensões no ambiente externo, em especial na segunda quinzena de setembro. O avanço do candidato Jair Bolsonaro nas pesquisas eleitorais no final do mês contribuiu para a alta da bolsa em um cenário de alta volatilidade. No âmbito internacional, observamos a continuidade do movimento de deterioração dos ativos de países emergentes no início do mês. Entretanto, ao longo de setembro, definições mais favoráveis em relação à Guerra Comercial entre EUA e China e medidas na Argentina e na Turquia contribuíram para a reversão desse cenário, favorecendo os ativos dos emergentes, incluindo o Brasil.

Fonte: ECONOMÁTICA/XP.

Fundos Macro

Baixa utilização de risco nos portfólios locais.

Com a manutenção do ambiente de incertezas políticas no Brasil, os gestores mantiveram o nível de alocação em ativos domésticos abaixo dos níveis históricos, movimento que se iniciou no começo do segundo semestre.

Falta de um grande consenso entre os gestores.

Não observamos grande consenso entre as posições dos fundos. Novamente, os gestores que buscaram oportunidades no mercado internacional conseguiram gerar retorno, principalmente com posições tomadas em juros de países desenvolvidos e ativos de emergentes.

Captação líquida reduzida no mês.

Após apresentar dados expressivos no primeiro semestre, os fundos Macro vem encontrando dificuldades para captar novos recursos em meio a um cenário de incertezas. A captação líquida em setembro foi de apenas R$625 mi. Entretanto, no ano, os números são satisfatórios, totalizando R$22 bi.

Fundos de Crédito

Fundos hedgeados de Debêntures Incentivadas em alta.

Os fundos de debêntures incentivadas vem utilizando o DAP (Contrato Futuro de Cupom de IPCA) para realizar o hedge dos ativos indexados ao IPCA. A ferramenta permite a redução da volatilidade desses fundos, o que vem atraindo o interesse de investidores pessoas físicas e acelerando a captação de alguns veículos.

Liquidez do mercado secundário segue elevada.

Com a proximidade das eleições, muitas empresas optaram por aguardar o desfecho do evento para dar início à captação de recursos no mercado. Com isso, em setembro, observamos poucas emissões de debêntures e espera-se que esse cenário se mantenha em outubro.

Mercado primário ainda ofereceu oportunidades.

Com a redução do volume de ofertas no mercado primário e o elevado nível de liquidez no secundário, observamos o fechamento de taxas de ativos de crédito corporativo.

Fundos de Ações

Dificuldade em superar o Ibovespa no mês.

O ambiente de alta volatilidade da bolsa trouxe dificuldades para os gestores de renda variável em setembro. O cenário político incerto vem gerando distorções nos preços das ações, muitas vezes se distanciando dos fundamentos, o que prejudica principalmente os fundos  com abordagem fundamentalista.

Petróleo, Mineração e Serviços Financeiros foram destaques.

A alta nos preços do petróleo e do minério de ferro favoreceram as empresas do setor. Vale e Petrobras figuraram entre os destaques positivos do Ibovespa no mês. Na ponta negativa, tivemos os setores de Saúde e Utilities, em especial as elétricas.

Postura cautelosa e atenta às oportunidades.

Grande parte dos gestores vem adotando uma postura cautelosa com a aproximação das eleições. Um desfecho mais positivo pode gerar reprecificação de boas empresas devido aos fundamentos favoráveis.

Captação Líquida da Indústria

A indústria apresentou captação líquida positiva no mês, na ordem de R$5,0 bilhões, número abaixo da média mensal no ano. Assim como ocorreu em agosto, o volume foi concentrado em fundos mais conservadores, principalmente nas categorias Renda Fixa e Previdência, fruto de um cenário politico de incertezas. No entanto, no ano, os multimercados vem se destacando, com fluxo positivo de R$40 bilhões.

Fonte: ANBIMA.

Radar do Mercado

A gestora informou que o Sparta Debêntures Incentivadas fechou para novas aplicações ao atingir o patrimônio de R$624 milhões. O fundo investe em debêntures enquadradas na Lei 12.431 e faz hedge dos ativos indexados ao IPCA.
Com a saída de Gilberto Paim, gestor da área de renda fixa e crédito, a casa contratou Paulo Fleury, ex-Diretor de Risco e Compliance da Sólis Investimentos. Diego Coelho segue sendo o responsável pela área, respondendo pela gestão do Valora Guardian e Valora Absolute.
A gestora anunciou o lançamento do DLM Debêntures Incentivadas, que investe em debêntures de infraestrutura enquadradas na Lei 12.431. O fundo tem como diferencial a isenção de imposto de renda para pessoas físicas e faz o hedge dos títulos indexados ao IPCA.
A Modal Asset e a Flag Asset anunciaram a fusão entre as duas gestoras, dando origem à Novus Capital. O foco de atuação das casas foi mantido e os mandatos foram preservados.
A Verde Asset abriu seu produto flagship para novas aplicações com um capacity limitado no mês de setembro. O fundo estava fechado para captação há anos e é um dos maiores e mais antigos hedge funds brasileiros.
A gestora lançou sua grade de fundos passivos, a família Trend. Foram criados fundos de Dólar, Inflação, Pré-Fixado, Ibovespa e S&P (hedgeado). Os produtos se juntam ao LFT e Gold, que já compunham a grade da gestora. A asset estuda o lançamento de outras estratégias da família.
A asset anunciou a reabertura do XP Corporate Plus durante o período de 01 à 05 de outubro. O produto é da estratégia de crédito privado e tem histórico de 134% do CDI desde seu início. O fundo estava fechado desde julho.
A gestora comunicou o fechamento do XP Crédito Estruturado 360 para aplicações. A decisão foi baseada no cenário atual de restrição da originação de ofertas no mercado de crédito. Não há uma previsão para futuras reaberturas.
A gestora comunicou o fechamento do Kondor Long Short para novas aplicações no dia 04 de outubro. Sob o comando de Felipe Campos, a Navi anunciou recentemente a separação do business com a Kondor, dando origem à Navi, asset focada em renda variável.
A Gap Equities lançou sua nova marca, a Sharp Capital. No primeiro semestre, a Gap anunciou a separação de suas células de renda fixa e renda variável. A nova marca é parte desse processo, dando origem à uma estrutura segregada e independente, sob o comando de Ivan Guetta.

Evolução de Patrimônio e Número de Contas

Em setembro, a indústria de fundos apresentou evolução de 1,02% em ativos sob gestão, acumulando +7,88% no ano. Em termos de número de contas, observamos um crescimento de 0,37% no mês e 8,08% no ano.

Fonte: ECONOMÁTICA/XP. No cálculo do patrimônio, foram excluídos fundos de cotas, com o objetivo de evitar dupla contagem. No número de contas, o valor pode estar subestimado, dado que alguns administradores não contabilizam cotistas via distribuição por conta e ordem.

Ranking de Gestores

Fonte: ECONOMÁTICA/XP. No cálculo do patrimônio, foram excluídos fundos de cotas, com o objetivo de evitar dupla contagem. No número de contas, o valor pode estar subestimado, dado que alguns administradores não contabilizam cotistas via distribuição por conta e ordem.

Ranking de Administradores

Fonte: ECONOMÁTICA/XP. No cálculo do patrimônio, foram excluídos fundos de cotas, com o objetivo de evitar dupla contagem. No número de contas, o valor pode estar subestimado, dado que alguns administradores não contabilizam cotistas via distribuição por conta e ordem.

Captação Líquida da Indústria

Fonte: ECONOMÁTICA/XP. Foi considerado a captação líquida total de todos os fundos, de assets independentes ou ligadas à instituições financeiras, das respectivas categorias, excluindo-se fundo de cotas.
Fonte: ECONOMÁTICA/XP. Foi considerado a captação líquida total de todos os fundos, de assets independentes ou ligadas à instituições financeiras, das respectivas categorias, excluindo-se fundo de cotas.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.