Debênture MRV – SET/2024

Debênture MRV – SET/2024

  • Vencimento 15/09/2024
  • Rentab. -
  • Liquidez -
  • Juros -
  • Rating AA-(bra)
  • Risco (0 - 100) 18 Risco Médio

    A nova pontuação de risco leva em consideração critérios de risco, mercado e liquidez. Para saber mais, clique aqui.

  • Preço Unitário R$ 10.000,00

Análise do Emissor

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A MRV é a maior incorporadora do Brasil e é focada em moradias populares. Apesar do principal segmento de atuação ser atrelado ao programa Casa Verde e Amarela, a empresa também possui exposição no segmento de média renda e conta com as subsidiárias Urba, Luggo e AHS, que ampliam seu escopo para além da incorporação. Há um robusto plano de crescimento para 80 mil unidades por ano até 2025. Nos primeiros seis meses de 2021, sua receita líquida avançou 7,9% para R$ 3,4 bilhões e o EBITDA cresceu 17,6% para R$ 507 milhões. Seu endividamento líquido encerrou o semestre em R$ 2,4 bilhões, com alavancagem medida pela razão (Dívida Líquida + Imóveis a Pagar)/Patrimônio Líquido de 0,62x, próxima ao covenant de 0,65x, explicada pelos novos projetos da empresa, que ainda se encontram em fase de consumo de caixa.

Destaques positivos

  • Maior construtora da América Latina.
  • Boa posição para futuros lançamentos.
  • Sólido histórico de performance.
  • Resiliência do segmento de baixa renda.

Pontos de atenção

  • Dependência grande de programa governamental.
  • Exposição às condições macroeconômicas.
  • Estratégia de crescimento.

Quem é a MRV?

A MRV foi fundada em 1979 em Belo Horizonte, Minas Gerais, por Rubens Menin, Mário Lúcio Menin e Vega Engenharia.

Embora originalmente focada na construção e desenvolvimento de empreendimentos residenciais em Belo Horizonte (MG), a empresa começou a expandir suas operações para as regiões Sul e Sudeste do Brasil em 1995.

Em 2007, a MRV concluiu seu processo de abertura de capital (IPO), captando aproximadamente R$1,2 bilhão. Em 2009, a empresa concluiu um follow-on, levantando um adicional de R$ 595 milhões. Finalmente, a sua subsidiária Log Commercial Properties foi segregada da MRV no final de 2018, tornando-se uma companhia independente.

Atualmente, a MRV é a maior incorporadora do Brasil e é focada em moradias populares. Apesar do principal segmento de atuação ser atrelado ao programa Casa Verde e Amarela (CVA), antigamente chamado de Minha Casa, Minha Vida, a empresa também possui exposição no segmento de média renda, por meio das linhas Sensia e Class (fora do programa habitacional).

Além disso, a empresa busca expandir seu escopo de atuação por meio das seguintes alavancas de crescimento:

  • Urba: subsidiária de planejamento urbano e loteamentos;
  • Luggo: startup de locação de apartamentos;
  • AHS: construtora que atende as famílias de classe média norte-americana, cujo modelo de negócios consiste no desenvolvimento completo dos empreendimentos e na venda dos condomínios para fundos de renda imobiliária.

Há um robusto plano de crescimento para 80 mil unidades por ano até 2025, que deve atingir cerca de R$ 18 bilhões em Valor Geral de Vendas anuais. A companhia espera lançar 40 mil unidades sob o programa CVA e outros 40 mil unidades fora do programa habitacional.

A MRV possui presença nacional e opera em 22 estados brasileiros e mais de 160 cidades, com uma grande expertise em moradias populares com larga nacional. Também atua em todas as etapas de aquisição, desenvolvimento, construção e vendas de terreno em desenvolvimento. Ademais, é atua em 14 cidades nos Estados Unidos da América, nos estados da Florida, Texas e Georgia.

A companhia está listada no Novo Mercado, atendendo a todos os requisitos para o mais alto nível de governança corporativa da B3, sob o código MRVE3. Rubens Menin, atual presidente do Conselho e fundador, é o principal acionista controlador com participação de 37,5% na empresa.

Principais fatores do crédito

Fonte: MRV. Elaboração: XP.

A queda das taxas de juros para o financiamento imobiliário, a continuidade nos repasses do CVA (mesmo no auge da pandemia da covid-19) e a diversificação de atuação foram responsáveis pelo sólido desempenho operacional da MRV em 2020, que registrou total de 54 mil vendas brutas, o equivalente a R$ 8,7 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV).

Como consequência, a receita líquida avançou 9,8% ao ano para R$ 6,6 bilhões e o EBITDA permaneceu estável em R$ 1 bilhão, dada a pressão da inflação de materiais no segundo semestre de 2020. A geração de caixa consolidada atingiu o patamar de R$ 75,4 milhões. A MRV Incorporação Brasil registrou geração de R$ 521,1 milhões, ofuscada pelo consumo de caixa de R$ 344,1 milhões da AHS, R$ 42,7 milhões da Luggo e R$ 58,8 milhões da Urba.

Já nos seis primeiros meses de 2021, a companhia renovou seu recorde de receita operacional líquida para o período, atingindo R$ 3,4 bilhões, avanço anual de 7,9%, em função do aumento na produção. O EBITDA reportado atingiu R$ 507 milhões (crescimento de 17,6% na mesma janela), resultando em margem de 14,9%.

Ao fim de junho, a MRV possuía endividamento líquido de R$ 2,4 bilhões, crescimento de 27,4% ante o saldo de 2020. A alavancagem, medida pela razão (Dívida Líquida + Imóveis a Pagar)/Patrimônio Líquido atingiu 0,62x, se situando próxima ao covenant de 0,65x presente em suas emissões. O avanço do endividamento e da alavancagem se dá pelos novos projetos da empresa, que ainda se encontram em fase de consumo de caixa no momento.

Por fim, em 30 de junho de 2021, a Companhia possuía um caixa de R$ 2,7 bilhões, contra vencimentos de dívidas no curto prazo de R$ 912 milhões, sendo R$ 643 milhões em moeda nacional e o restante em dólar.

Pontos de atenção

Dependência grande de programa governamental

A MRV é a maior incorporadora do Programa Casa Verde Amarela (CVA) e, há anos, possui uma consolidada operação de mais de 40 mil unidades anuais no programa. Cerca de 82,0% da receita bruta da MRV em 2020 foi gerada em projetos enquadrados no programa. Além disso, se olharmos para potencial de construção, 68,9% do landbank da empresa encontrava-se adequado a empreendimentos deste segmento ao fim do exercício.

Portanto, pode-se afirmar que a MRV é altamente exposta ao programa habitacional do governo federal, ficando assim sujeita a eventuais mudanças que possam afetá-lo negativamente.

Por outro lado, é importante destacar sua certa flexibilidade, ilustrada pela exposição nos segmentos de média renda além das subsidiárias Urba, Luggo e AHS.

Exposição às condições macroeconômicas

Apesar do segmento de baixa renda ter apresentado demanda resiliente de moradias nos últimos ciclos econômicos, dado o volume considerável de subsídios, extensa base da pirâmide de renda das famílias brasileiras e forte formação de famílias, a incorporadora também possui exposição ao segmento de incorporação tradicional, que deverá ganhar maior participação na receita da empresa nos próximos anos.

O desempenho do setor de construção civil tradicional possui elevada correlação com o cenário econômico do país. Como principais variáveis econômicas que impactam diretamente as operações da MRV, é possível citar: nível de emprego, taxas de juros, disponibilidade de crédito e o nível de confiança. O nível de confiança é um indicador importante porque o comprador precisa ter confiança que terá estabilidade no futuro para honrar o pagamento do financiamento imobiliário.

Em períodos de incertezas, além da desaceleração das vendas contratadas, as companhias também são impactadas pelos distratos, que representam o rompimento de um contrato de aquisição de imóvel. Antes da sanção da Lei 13.786/2018, conhecida como lei dos distratos, as empresas eram obrigadas pela justiça a pagar de volta ao comprador quase que a totalidade do montante pago em caso de rompimento de contratos. Mesmo com a vigência da lei, que prevê o pagamento de multas por parte do comprador, os distratos seguem impactando negativamente as operações das empresas do setor.

Como mitigante, aponta-se o modelo de financiamento utilizado pela incorporadora, chamado de “Repasse na Planta”. Nessa modalidade, o imóvel é financiado antes do término da obra, repassando o risco da dívida para o banco no início da construção. Além disso, a MRV considera que a unidade foi vendida apenas no momento em que o cliente obtém o financiamento, reduzindo o risco de distratos.

Estratégia de crescimento

Conforme mencionado anteriormente, além de seu principal produto (empreendimentos habitacionais de baixa renda) a MRV também explora outras oportunidades de crescimento.

Apesar de enxergarmos os esforços de diversificação como positivos, tais frentes de atuação possuem maior exigência de capital empregado para o desenvolvimento de projetos e compra de terrenos frente ao atual negócio principal. Ademais, as atividades da AHS possuem um ciclo de caixa mais alongado que as construções no segmento de baixa renda, podendo chegar a 4 ou 5 anos, ante até 18 meses do ciclo de seu core business.

Nota-se, portanto, que o plano de expansão da companhia deverá mudar seu perfil de negócios ao longo do tempo, em razão das expectativas de que dois terços do VGV da MRV sejam advindos das novas frentes de negócios.

Além dos riscos naturais de novos mercados, é possível que a MRV demande capital adicional, seja por meio de novas emissões, aumento de capital ou empréstimos bancários. Em vista disso, as captações da MRV para realizar o financiamento dessas novas operações deverão ser monitoradas.

Fonte

MRV

Veja mais

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.