XP Expert

Resumo Diário de Política 17/03/2022: Governo lança pacote para injetar recursos na economia e Congresso analisa vetos

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O noticiário político desta quinta-feira (17) realça o conjunto de ações do Palácio do Planalto para injetar mais recursos na economia.

Hoje, às 16h30, o governo lança formalmente um pacote legislativo viabilizando a antecipação do abono anual de aposentados e pensionistas do INSS, uma nova rodada de saques do FGTS e um programa de microcrédito voltado a negativados.

Na carona dessas iniciativas, a imprensa também cogita a “bancarização” do Auxílio Brasil e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) – permitindo-se que aproximadamente 23 milhões de beneficiários desses programas descontem empréstimos em folha (bit.ly/3Ii3nLO), o aumento da margem consignável das operações – de 35% para 40%, e o corte de 0,38% do IOF nos empréstimos a micro e pequenas empresas (glo.bo/3Jnw3EK).

No Senado, a Comissão de Constituição e Justiça adiou, por uma semana, a votação da reforma tributária (PEC n° 110/2019). Não houve consenso sobre o relatório do senador Roberto Rocha (bit.ly/3tfCT9B).

E o Congresso se reúne, a partir das 14h, para discutir vetos presidenciais (bit.ly/3Ii79EY). Temas importantes como a renovação do Reporto e o Programa Emergencial para o Setor de Eventos (Perse) constarão da Ordem do Dia (bit.ly/3JdGquB). O projeto que recompõe despesas obrigatórias no orçamento de 2022, de igual sorte, pode entrar na pauta (bit.ly/3KSq8Yo).

Sobre combustíveis, os jornais informam que o recente aumento do diesel elevou a pressão para reajuste das tarifas de ônibus em diversos municípios (bit.ly/3CNuopn). Gestores locais seguem centrados em transferir, à União, o custeio da gratuidade com idosos – com impacto de aproximadamente R$ 5 bilhões. O projeto de lei paradigma, entretanto, não deve receber na Câmara o mesmo “senso de urgência” visto no Senado (bit.ly/3JkZHdG e bit.ly/3te4GqR).

Na Esplanada, servidores do Banco Central decidiram realizar paralisações diárias. O sindicato da categoria sinaliza greve por tempo indeterminado caso o governo não conceda reajustes salariais (bit.ly/3InbVkC).

Partindo para a seara eleitoral, o governador Eduardo Leite (RS) participou ontem, com Gilberto Kassab, do evento de filiação da ex-senadora Ana Amélia Lemos ao PSD. A quinze dias do prazo final para desincompatibilização, o mandatário disse “ainda precisar de tempo” para tomar qualquer decisão (bit.ly/3wd4Gt6).

A entrada de Leite na corrida é vista com uma dose de ceticismo por articuladores da terceira via (bit.ly/3tiJ2Sm). Kassab, ao seu turno, mantém Paulo Hartung como “plano B” (bit.ly/37ECSnl).

Já o vice-presidente Hamilton Mourão sacramentou sua ida ao Republicanos para disputar uma cadeira no Senado pelo Rio Grande do Sul, prometendo apoio irrestrito a Bolsonaro (bit.ly/3igseoF). E Geraldo Alckmin, de malas prontas para o PSB (bit.ly/35ZMwk3), vê seu nome envolvido numa acusação de “caixa dois” (bit.ly/3tk8LKm e bit.ly/3wc5m1Z).

Nas redes

O debate sobre os combustíveis segue em destaque, com o bolsonarismo ainda encontrando dificuldades com a disputa pela narrativa do tema. Questões ligadas à SELIC e aos combustíveis incitam um leve aumento no número de menções ao tema inflação, com atores ligados ao governo federal responsabilizando o cenário internacional – e voltando a criticar a China – pelos desafios no Brasil. Por fim, questionamentos pelo adiamento da votação da reforma tributária em comissão no Senado é destaque em clusters específicos, sem grande volume de menções no cenário geral.

Internacional

A guerra na Ucrânia permanece em destaque. Apesar de relatos no início do dia de quarta-feira (16) sobre avanços significativos nas negociações entre a os governos Zelensky e Putin, tanto Kiev quanto Moscou buscaram reduzir expectativas, indicando que ainda haviam claras dificuldades. As conversas devem retomar nesta quinta-feira (17) (bloom.bg/3D3DEWJ).

Em paralelo, a Ucrânia continua recebendo apoio de países da OTAN, ainda que descartem envolvimento direto no conflito. A Casa Branca anunciou nesta quarta-feira (16) que os Estados Unidos que enviariam mais de USD 800 milhões em sistemas antiaéreos para deter aeronaves e mísseis russos. Em discurso, Joe Biden descreveu Vladimir Putin como criminoso de guerra pelos supostos ataques a civis (on.ft.com/3weY1yw).

Hoje é o 1170° dia do governo Jair Bolsonaro.

Faltam 199 dias para as eleições presidenciais.

Hoje é o 736° dia da pandemia de Covid-19.

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.