Resumo Diário de Política 14/12/2020: Sucessão da Câmara e Senado em destaque

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.


Compartilhar:


A semana que vem pela frente Brasília entra na última semana útil do ano com uma série de pendências a resolver. As discussões sobre as eleições para as mesas da Câmara e do Senado, em fevereiro, devem se intensificar nos próximos dias. O grupo de Rodrigo Maia segue sob pressão para definir logo a sua candidatura, o que o deputado prometeu fazer até hoje (https://glo.bo/37gte7O e https://bit.ly/2IMDbQN) – enquanto isso, ele segue, em entrevistas (https://bit.ly/3a816Fz), colando a imagem do rival Arthur Lira à do presidente, ao dizer que o adversário vai dar vazão à agenda de costumes (o que afasta a esquerda) e favorecer Bolsonaro em 2022. Para o mercado, questiona seu comprometimento com a agenda econômica. 

No Senado, o MDB ensaia conversas para definir seu nome sem rachar a bancada, como aconteceu no ano passado (https://glo.bo/37UvLU0). Enquanto isso Davi Alcolumbre segue tentando emplacar um nome do DEM, o que, segundo ouvimos, não é consensual em bancadas como a do PSD, em que o presidente do Senado tem buscado apoio.

A semana é também a última do ano com atividade forte na Câmara e no Senado. No Congresso, está convocada sessão para a quarta-feira, com a Lei de Diretrizes Orçamentárias na pauta. Os vetos, inclusive ao marco regulatório do saneamento, não estão previstos e devem ficar para o ano que vem. 

Na Câmara, há sessão convocada hoje com os PLPs 101/2020 (que trata da recuperação fiscal dos Estados) e 137/2020 (que trata da liberação de estoque de fundos públicos) – os projetos já estavam na pauta da semana passada, mas o ambiente contaminado pela sucessão impediu a votação. Diante da frágil situação da economia dos estados, vale atenção a alterações que os deputados possam fazer para beneficiar os governadores.

A semana também deve manter em alta a pressão da classe política pela prorrogação do auxílio emergencial. Na sexta, Paulo Guedes esboçou a receita do que pretende fazer para reduzir as pressões: a “aterrisagem suave” se dará por conta do calendário de pagamentos do auxílio de 2020 (que contempla mais 40 dias em 2021), e possibilidade de diferimento de tributos e antecipação de benefícios sociais, como foi feito no início do ano (https://bit.ly/2K5bwLF

Há perspectiva também de intensificação das discussões sobre calendário de vacinação – o STF mandou o Ministério da Saúde esclarcer, em 48 horas, os prazos para início da vacinação (https://bit.ly/34aRhTL) –, com manutenção da disputa política entre o governo de São Paulo e o governo federal. O Planalto deve editar medida provisória com crédito de R$ 20 bilhões para compra de vacina (https://bit.ly/3a9Kaie). 

Do noticiário do dia, vale destaque à decisão da equipe econômica de, com o adiamento da PEC Emergencial para 2021, retomar pontos da discussão inicial, que incluíam a redução de jornada e salário de servidores (https://glo.bo/2IL88F0). O adiamento, aliás, levou a um bate-boca entre Maia e Guedes na sexta-feira (https://glo.bo/3mj4PCy). O ministro sairá de férias entre 18 de dezembro e 8 de janeiro (https://bit.ly/3maQZ5m

Curtas: Época diz que a Abin fez relatórios para orientar a defesa de Flávio Bolsonaro no caso Queiroz (https://glo.bo/34dbtUK) e o governo voltou a reduzir a zero a alíquota do IOF em operações de crédito, depois de ter reestabelecido a cobrança no fim de novembro. A redução vale de amanhã até o fim do ano (https://bit.ly/3gVHFS1).

Internacional

Covid-19: Segundo a OMS, são 70.461.926 casos confirmados  1.599.704 óbitos (https://bit.ly/3ge3REZ).

A segunda onda da doença na Europa levou ao anúncio de novas restrições, inclusive um novo lockdown rígido na Alemanha, que deve durar pelo menos até 10 de janeiro (https://glo.bo/2Kqe9Y0). Nos EUA, a vacina produzida pela farmacêutica Pfizer foi aprovada, e a imunização deve começar já nesta segunda-feira (https://bloom.bg/2IJQJMU). 

No lado das eleições americanas, os poucos caminhos que Donald Trump tinha para mudar o resultado da eleição ou postergar a confirmação dos mesmos, se reduziram (https://bloom.bg/3ngPhAK e https://nyti.ms/2WcQ5L6). O colégio eleitoral deve se reunir hoje para votar.

Já no Congresso do país, continuam as negociações por um novo pacote de estímulos à economia (https://on.wsj.com/3mbeRWl). 

O noticiário destaca ainda a falta de um acordo entre a União Europeia e o Reino Unido sobre o Brexit. A data limite para uma resolução, marcada para domingo (13), foi postergada (https://on.ft.com/2WbinFJ).

Hoje é o 714° dia do governo Jair Bolsonaro.

Hoje é o 278° dia da pandemia de Covid-19.

Faltam 49 dias para as eleições na Câmara e no Senado.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins da Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.