Pesquisa XP Congresso Junho 2019: Melhora na percepção de deputados sobre relacionamento da Câmara com a Presidência

Pesquisa XP Congresso: registra impressões de deputados e senadores sobre a relação entre Legislativo e Executivo e sobre o presente e futuro da economia.

access_time 28/06/2019 - 10:14
format_align_left 3 minutos e 2 segundos de leitura

A quarta rodada da Pesquisa XP Investimentos com deputados mostra uma melhora na percepção sobre o relacionamento da Câmara com a Presidência da República.

68% dos deputados que não são da oposição classificam a relação pessoal com a Presidência como boa ou ótima e 28% dizem que a interação entre a Casa e o governo é ótima ou boa

Subiu para 49% o percentual de deputados que classificam como bom ou ótimo a relação pessoal dos parlamentares com o Palácio do Planalto, contra 34% que tinham a mesma percepção na última pesquisa realizada em abril. A avaliação de que o relacionamento é péssimo ou ruim foi de 27%, contra 30% em abril.

Foram consultados 236 deputados, entre os dias 18 a 26 de junho.

Quando considerados apenas os deputados que não podem ser classificados como de oposição, a tendência de melhora na avaliação do relacionamento com o governo ficou ainda mais evidente: 68% classificam a relação como boa ou ótima contra 48% que tiveram a mesma resposta em abril. Os deputados têm uma percepção melhor também sobre o relacionamento da Câmara com o governo: 28% dizem que a interação entre a Casa e o governo é ótima ou boa, enquanto 16% tinham essa mesma avaliação em abril. Caiu também de 55% para 33% a avaliação de que essa relação estaria ruim ou péssima.

Fonte: XP Investimentos
Pergunta: Como o sr./sra. classifica o seu relacionamento atual com a presidência da república?
Fonte: XP Investimentos
Pergunta: Como o sr./sra. classifica o relacionamento atual da Câmara com a presidência?

Previdência

Continuam elevados os percentuais de deputados que entendem como necessária a aprovação da reforma da Previdência, em termos gerais. Aumentou de 76% para 80% o grupo de parlamentares que compartilha essa opinião. Entre os parlamentares não identificados como oposição, essa representa a quase totalidade dos entrevistados (99%).

Fonte: XP Investimentos
Pergunta: O sr./sra. acredita ser necessário reformar a previdência?

Comparando o texto da reforma da Previdência apresentado pelo governo, em fevereiro, e o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentado na Comissão Especial, o grupo de deputados que concorda em parte, mas admite a necessidade de alterações, passou de 42%, em abril, para 56%. Se considerados somente os deputados não identificados como oposição, 73% defendem algumas alterações no texto, mesmo concordando em parte com ele.

Quando perguntados sobre os pontos da reforma que deveriam ser flexibilizados, a maioria dos deputados concorda com mudanças nas regras de aposentadoria para professores (57%), transição do regime geral da previdência e para agentes de segurança (53%), e na transição de servidores públicos (50%). Entre os deputados que não podem ser classificados como oposição, 50% dos entrevistados defendem flexibilização para professores e outros 47% para agentes de segurança

Para acessar o histórico completo das Pesquisas XP, clique aqui.

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins da Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.