XP Expert

Relatório Semanal de Política 26/05/2019: Protagonismo do Legislativo classificado como “parlamentarismo informal”

O Relatório Semanal de Política apresenta os principais destaques da semana e nossa perspectiva para a semana seguinte.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clima de disputa entre o Executivo e o Congresso pelo comando da agenda de reformas tem sido classificado em Brasília como uma espécie de “parlamentarismo informal”.


O clima político conflagrado do início desta semana deu lugar a uma sensação de alívio para o governo com a aprovação no Congresso das medidas provisórias que poderiam perder efetividade. Esse respiro, porém, dá sinais de ser momentâneo.

O acordo que permitiu as votações foi fruto de uma tática dos partidos do Centrão – que reúne cerca de 200 dos 513 deputados – para arrefecer os ataques ao Legislativo nas vésperas das manifestações convocadas por militantes de direita, neste domingo (26).

A votação das MPs seria uma resposta positiva para a opinião pública contra a crítica de que os congressistas jogam contra o país. Por trás dessa estratégia, o que se vê são relações deterioradas entre os dois poderes, com potencial de piorar.

A retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça, de Sérgio Moro, foi uma demonstração de força do Centrão, de enfrentamento ao governo e de insatisfação com as falhas na articulação política. O placar foi apertado, 228 a 210.

Ao longo do dia da votação, no Congresso, alguns parlamentares relataram receio da cobrança online da rede de suporte de Moro e também de desagradar o próprio ministro.

O nível de desconfiança tem feito os deputados mais pragmáticos assumirem uma postura reticente em aceitar cargos e cobrar a liberação das emendas impositivas.

A redução da efetividade da reforma da Previdência e a demora na aprovação são os principais e mais imediatos riscos desse ambiente conturbado.

Um episódio sintomático desta semana foi a publicização do rompimento entre o presidente da Câmara e o líder do governo Major Victor Hugo (PSL-GO). A reação de Maia veio depois que o deputado do PSL publicou numa rede social uma imagem que insinuava um Congresso comprado mas, na prática, a relação já era inexistente há meses.

Nesse caldeirão de desconcertos e inapetência do governo em fazer política, o Congresso tem buscado cada vez mais se apresentar como protagonista de uma agenda de reformas para o país, a exemplo da reforma tributária, que não teve contribuições da equipe econômica até agora.

Esse protagonismo do Legislativo tem sido classificado em Brasília como uma espécie de “parlamentarismo informal”, segundo o qual o Congresso lideraria principalmente a agenda econômica. A postura dos parlamentares leva a crer que a concessão em relação às MPs é um distensionamento pontual numa relação que não dá sinais de melhora.


Pesquisa XP/Ipespe

Uma rodada extraordinária da pesquisa XP/Ipespe com a população, feita depois das manifestações do dia 15 de maio contra o contingenciamento de recursos para a Educação, mostrou a avaliação negativa superando, pela primeira vez, a aprovação do governo de Jair Bolsonaro.

O grupo de entrevistados que classifica a atuação do governo como ruim ou péssima subiu 5% (de 31% para 36%), enquanto os que avaliam a atual administração como ótima ou boa oscilaram de 35% para 34%.

Apenas 4% dos entrevistados avaliam como satisfatória a execução dos objetivos do governo no parlamento.

A rodada extraordinária da pesquisa buscou medir ainda a opinião da população sobre os protestos ocorridos no último dia 15 de maio, contra o contingenciamento de verbas do Ministério da Educação. Mais da metade dos entrevistados (57%) afirmam que as manifestações tiveram importância, enquanto outros 38% afirmam que o movimento não teve relevância. É quase um consenso (86% dos entrevistados) que os protestos devem voltar a ocorrer nos próximos meses.

Para acessar a Pesquisa XP/Ipespe na íntegra, clique aqui.

XP Política

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.