Resumo Diário de Política 17/06/2019

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Um dia depois de Jair Bolsonaro dizer que Joaquim Levy estava com a cabeça a prêmio, o presidente do BNDES entregou o cargo. O caso foi destaque nos principais jornais (http://bit.ly/31EBWYE; http://bit.ly/31EzocQ; http://bit.ly/31FsJzo). O arroubo de Bolsonaro teve como faísca a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para área de mercado de capitais. O executivo já havia trabalhado no banco na era petista. No entanto, havia insatisfação pela falta de celeridade na avaliação dos empréstimos polêmicos realizados durante as gestões do PT e a resistência em devolver recursos ao Tesouro no volume e prazos esperados pela equipe econômica (http://bit.ly/31zW0v6).

Antes de Levy, na semana passada Bolsonaro trocou de general na Secretaria de Governo e determinou a demissão do presidente dos Correios. Chamado de sindicalista pelo presidente, Juarez Aparecido Cunha será exonerado por se opor à privatização da empresa e ter tirado fotos com deputados do PT e do PSOL (https://glo.bo/31BRlsB).

Na sexta-feira Paulo Guedes fez duras críticas ao relatório da reforma da previdência. Apesar da economia de R$ 917 bilhões de reais em 10 anos, o ministro da Economia chegou a afirmar que “o compromisso com os servidores públicos do Legislativo foi maior do que com as novas gerações” e que as mudanças “abortaram a reforma” (http://bit.ly/31zWAJi). Rodrigo Maia subiu o tom na resposta e disse que o parlamento está blindado da “usina de crises” geradas pelo executivo. O episódio marca uma fratura na relação do Congresso com a equipe econômica, que contornava os problemas de articulação política do governo (https://glo.bo/31zC23P). O relator, em entrevista, defendeu o texto apresentado (http://bit.ly/31EPhQs).

Mesmo depois de tudo isso, a equipe econômica quer negociar com o Congresso para endurecer a PEC da previdência (http://bit.ly/31xtYk1). Desejamos boa sorte, mas a economia em 10 anos só aumentará se o Congresso enxergar que é proveitoso para si e que o mérito ficará com os parlamentares. Para lembrar, nosso último levantamento com agentes de mercado mostrou que a expectativa era de uma reforma de R$ 700 bilhões.

E como se faltassem problemas, o The Intercept divulgou a 6ª reportagem com supostas mensagens privadas entre Sérgio Moro e o Ministério Público em maio de 2017 (http://bit.ly/2RkcMcO) . As conversas foram obtidas de maneira ilegal através de hack dos celulares dos envolvidos. Em entrevista, o jornalista Glenn Greenwald disse que o site coletou material “mais explosivo e pesado” que o já divulgado (http://bit.ly/31CmKLA). A pesquisa XP-Ipespe divulgada na última sexta feira, no entanto, mostrou que Moro ainda é a figura pública mais bem avaliada pela população.

Curtas: Militares ficaram desconfortáveis com a substituição do general Santos Cruz. Uma parte da caserna, pelo sinal que emitiu aos outros generais que integram o governo (https://glo.bo/31Bu2z9) e outra por temer o aumento da associação da imagem dos militares com a do governo (http://bit.ly/31EIxlV).

A agenda de 17 a 23 de junho

  • Comissão especial deve começar a discussão sobre reforma da Previdência
  • Bolsonaro e Paulo Guedes discutem sucessor de Joaquim Levy no BNDES
  • Moro participa de audiência no Senado após vazamento de conversas com MPF

A comissão especial que analisa a reforma da Previdência deve começar a discussão do relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a PEC enviada pelo governo (http://bit.ly/2RjAeqJ). A discussão depende de mais uma sessão realizada no plenário da Câmara, o que, caso tudo corra como planejado, deve acontecer hoje (17). A partir de amanhã, a comissão deve começar o debate. O presidente do colegiado, Marcelo Ramos (PL-AM), conta com o início da votação na próxima semana, no dia 26 ou 27. A discussão deve se estender durante cerca de três dias (http://bit.ly/2Ri7DCd). Na sexta (14), a secretaria da comissão especial informava que 115 deputados já tinham se inscritos para a discussão.

O presidente Jair Bolsonaro inicia a semana na expectativa de definir um substituto para Joaquim Levy na presidência do BNDES* (https://glo.bo/2RjzSAp). Levy pediu demissão (https://glo.bo/2Rn6Wrh) ontem (16), após Bolsonaro explicitar seu descontentamento com o economista no sábado e ameaçar demiti-lo. São cotados para a vaga que era de Levy, segundo o Estadão, o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco e o secretário de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar Jr (http://bit.ly/2Rppc3q).

O ministro Sergio Moro participa de audiência na Comissão de Constituição e Justiça do Senado para falar sobre o vazamento de supostas mensagens atribuídas a ele e a membros da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (http://bit.ly/2Rsl5Ul). Nas mensagens, reveladas pelo site The Intercept Brasil, Moro dá orientações aos procuradores sobre o caso envolvendo o ex-presidente Lula (leia a última parte da série de reportagens: http://bit.ly/2RkcMcO). A repercussão inicial foi de apreensão com o conteúdo dos diálogos, tanto que parlamentares –não só os da oposição– passaram a cobrar que Moro desse esclarecimento sobre o conteúdo divulgado pelo Intercept. Na semana que vem, o ex-juiz também prestará esclarecimentos na Câmara. Até lá, novas conversas podem ser reveladas pelo site e colocar mais ingredientes no episódio.

  • Hoje é o 168º dia do governo Jair Bolsonaro.
  • Faz 117 dias que Jair Bolsonaro entregou projeto da previdência à Câmara.
  • Placar Valor/Atlas – Favor (105); Apoio parcial (130); Indefinidos (135); Contra (143).
  • Placar Estadão – Favor (72); Apoio parcial (123); Indefinidos (201); Contra (117).

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.