Resumo Diário de Política 09/05/2019

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Mais um dia de poucas notícias e o destaque é a participação Paulo Guedes na comissão especial da previdência. O ministro adotou tom técnico e defendeu o projeto de reforma da previdência por mais de oito horas na comissão especial da Câmara. Dessa vez, teve ajuda dos governistas, mas repetiu embate acalorado com a oposição, como visto na CCJ (http://bit.ly/2VNUy8x, https://glo.bo/2VTQ3cv e http://bit.ly/2VZJzJi). Com a negociação praticamente acertada em pontos com BPC e aposentadoria rural, a oposição mirou as críticas no sistema de capitalização, que pode passar a ter contribuição patronal (http://bit.ly/2VSlxzI). O ministro da Economia volta hoje ao Congresso para falar na Comissão Mista de Orçamento (CMO) sobre a regra de ouro.

Políticos de centro pedem mais que os dois ministérios que Bolsonaro decidiu recriar para entregar aos aliados. O governo lembra que além dos ministérios, oferece emendas extraorçamentárias aos parlamentares que ajudarem a aprovar a reforma. Seriam R$ 20 milhões aos líderes e R$ 10 milhões aos parlamentares (http://bit.ly/2VSnQmm e http://bit.ly/2VTpp3l). A grita é natural, mas o problema de como dividir poder é menor que o problema anterior, que era a quase inexistência de articulação política. Após ataques de Olavo de Carvalho, Santos Cruz retoma o contato com parlamentares em busca de votos para previdência (http://bit.ly/2VRiNCF)

Reunião de governadores com Bolsonaro, o presidente da Câmara e do Senado e líderes partidários não rendeu muita coisa. Os executivos dos estados trouxeram uma lista de prioridades, que foi rechaçada. O governo só entrega alívio financeiro para os estados após a aprovação da previdência (http://bit.ly/2VROWd7). A julgar pelo histórico das ações de governadores na relação com Brasília, o governo está certo. 

Curtas: TRF2 revoga os habeas curpus de Michel Temer e Coronel Lima. A expectativa é que o ex-presidente se apresente hoje à justiça (https://glo.bo/2VTQ3Jx); decreto que libera porte de armas abrange mais categorias do que havia sido acordado com o Congresso, que questiona a decisão de Bolsonaro (http://bit.ly/2VUtGnc; https://glo.bo/2VLqM4j; https://glo.bo/2VRickp). É um afago na base eleitoral às custas de uma quebra de acordo com o Congresso.

Bastidores de Brasília

Líderes do Centrão continuam desconfiados da estratégia do governo de desmembrar ministérios e afirmar, nos bastidores, que está disposto a cedê-los a políticos. Os parlamentares estão receosos de ficarem com a pecha de “velha política” que dobrou o presidente Bolsonaro.

A partir de uma visão pragmática, acham que seria melhor que o Planalto concedesse indicações técnicas em secretarias, evitando desgaste, mas com resultado semelhante em distribuição de recursos.

No MDB da Câmara, há resistências à possibilidade do senador Fernando Bezerra assumir um cargo. Usam como argumento o fato de seu filho, o ex-ministro Fernando Coelho Filho, ser deputado pelo DEM. Sua possível indicação, porém, poderia agradar a caciques antigos do MDB.

A agenda deste 9 de maio

A comissão especial da reforma da Previdência realiza audiência pública com dois economistas favoráveis à PEC –Paulo Taffner e Pedro Fernando Nery– e dois contrários –Eduardo Fagnani e Eduardo Moreira. Na Câmara, às 9h30.

As comissões das medidas provisórias 870 (reforma administrativa) e 871 (combate a fraudes no INSS) retomam os trabalhos às 9h e 10h, respectivamente, e podem votar relatórios. A chance, porém, é pequena devido ao baixo quórum que deve ser registrado no Congresso.

O presidente Jair Bolsonaro recebe, às 15h, os ministros Paulo Guedes (Economia), Marcos Montes (substituto da Agricultura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Santos Cruz (Secretaria de Governo) e André Luiz de Almeida (AGU), junto do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD) e do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Depois, às 16h30, se reúne com o seu vice, general Hamilton Mourão. No fim da tarde, às 17h30, recebe o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e mais autoridades.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, almoça no quartel general do Exército, às 12h. Depois, recebe o empresário Luciano Hang, dono da Havan, às 15h30. Em seguida, às 16h, recebe o ex-governador Paulo Hartung e o facilitador da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, André Guimarães.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, recebe o senador Wellington Fagundes (PR) e o presidente do grupo Multiterminais, Richard Klein, às 11h. Em seguida, recebe o chefe de gabinete da presidência Petrobras, Roberto Ardengue, às 13h.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, toma café da manhã com o ministro da Secretaria de Governo, Santos Cruz, e deputados, às 9h. Às 11h, Guedes vai à Câmara para audiência na Comissão Mista de Orçamento. Pela tarde, às 15h, reúne-se com o presidente Bolsonaro e governadores do Nordeste.

  • Hoje é o 129º dia do governo de Jair Bolsonaro.
  • Faz 78 dias que Jair Bolsonaro entregou projeto da previdência à Câmara.
  • A Câmara teve três sessões que contam como prazo para comissão especial da previdência.
  • Placar Valor/Atlas – Favor (100); Apoio parcial (112); Indefinidos (157); Contra (144).
  • Placar Estadão – Favor (72); Apoio parcial (123); Indefinidos (201); Contra (117).

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.