Mundos e Fundos – melhores momentos da live com Marcos Peixoto, da XP Asset

No 13º episódio da série Mundos e Fundos, recebemos Marcos Peixoto, da XP Asset. Ele é o gestor do XP Long Biased 30 FIC FIM. Porque subir a bordo: O XP Long Biased FIC FIM é um fundo da XP Asset e conta com um time experiente e especializado. Iniciou em 14 de outubro de […]


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

No 13º episódio da série Mundos e Fundos, recebemos Marcos Peixoto, da XP Asset. Ele é o gestor do XP Long Biased 30 FIC FIM.

Porque subir a bordo: O XP Long Biased FIC FIM é um fundo da XP Asset e conta com um time experiente e especializado. Iniciou em 14 de outubro de 2013 e tem apresentado um retorno acumulado bem acima do CDI e do Ibovespa (mesmo com uma volatilidade menor). Com foco em ativos locais, o fundo investe principalmente nos mercados de Ações Brasil, podendo investir também, em menor proporção, nos mercados de Ações Internacional.

Check in: Marcos Peixoto é formado em Engenharia de Produção pela UFRJ e iniciou sua carreira no mercado financeiro no Banco BBM em 2001 como estagiário do BackOffice. Em 2003 teve a oportunidade de entrar na mesa de análise de ações na tesouraria do BBM, onde foi analista e depois co-gestor. Desde então trabalha no mundo de ações.

Em 2007 ingressou na Itaú Asset para ser responsável pela parte de Renda Variável dos fundos Multimercados, onde permaneceu durante seis anos.

Os caminhos dele e da XP se cruzaram quando ele querendo voltar ao Rio de Janeiro e em busca de novos desafios, ingressou na empresa no início de 2013 para ser o responsável por toda a área de Renda Variável da Asset.

Nessa época a XP era uma empresa mais conhecida como uma corretora, com pouca relevância na gestão de fundos. A proposta dava a Marcos uma liberdade parecida com uma gestora independente (com ele sendo sócio do fundo e recebendo bônus de acordo com sua performance), mas com a vantagem de uma grande empresa por trás o auxiliando e fornecendo recursos para a melhor realização do trabalho.

Descubra seu DNA de Investidor!

Visita à cabine – O time de gestão do XP Long Biased FIC FIM conta com 14 pessoas (o gestor, dois traders e 11 analistas).

Enquanto cada analista é responsável e especialista em um setor, Marcos observa todos os setores de uma forma mais generalista para ter o melhor e mais equilibrado portfólio.

Fundos Long Biased consistem em uma modalidade de fundos de ações. Além de poder ganhar com as posições compradas, também podem ter ganhos com a queda dos preços dos papeis.

O net líquido (parcela comprada menos parcela que está vendida) para esse tipo de estratégia varia de acordo com o momento do mercado. No caso do XP Long Biased o net líquido médio histórico é cerca de 70%, chegando até a 100% em momentos otimistas.

Com isso o gestor tem uma liberdade maior para definir o portfólio, buscando em momentos positivos da bolsa ter um retorno maior que o Ibovespa e em momentos negativos ter um retorno maior que o CDI.

Desde o início do fundo as escolhas de Marcos para a parte comprada do XP Long Bias FIC FIM originam-se de alocações do XP Investor FIA, enquanto as posições de valor relativo (Long Short) são derivadas do XP Long Short, fazendo com que haja uma convergência de ideias entre as diferentes estratégias de fundos de ações da XP Asset.

O fundo também conta com derivativos em seu portfólio (tanto para proteção quanto para alavancagem).

Melhores voos – Há alguns anos o XP Long Biased FIC FIM conta com ações da Qualicorp (QUAL3) em seu portfólio, variando entre períodos com maior ou menor posição. O mercado apresentava muita desconfiança com a seguradora devido a problemas de governança, como o possível envolvimento em casos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato.

No final de 2018 a empresa estava em um período de melhora operacional e com isso a gestora vinha aumentando sua posição. Entretanto, quando o ex-controlador da empresa pagou a si mesmo um bônus milionário, as ações da Qualicorp caíram cerca de 30%. Nesse momento Marcos e seu time tomaram a difícil decisão, contrariando o mercado, de aumentar ainda mais sua posição. Além disso, a gestora que já controlava cerca de 10% da companhia exerceu pressões sobre o conselho da empresa (na época noticiadas na imprensa) e na reversão de algumas medidas (como o ex-controlador tendo que comprar mais ações) e em uma melhora operacional relevante da seguradora.

Cerca de seis meses depois Marcos e seu time foram recompensados com um aumento de mais de 100% do preço das ações, sendo uma das principais posições em 2019.

Pouso forçado – Um evento relevante de governança ruim, parecido com o da Qualicorp, mas que não teve um bom resultado foi com a Smiles há cerca de três anos. Diferente do caso da Qualicorp, Marcos e seu time decidiram vender suas ações da administradora de programas de milhagem por considerar que essa era uma posição perdida.

A trajetória do fundo passa por diversos pousos forçados e bons voos. Entretanto os bons resultados do fundo vêm de ganhos relevantes em acertos e perdas controladas nos erros.

Há até exemplos de acertos e erros na mesma posição, como na Via Varejo.

Em 2019, ao acreditar em uma mudança de gestão da companhia Marcos e seu time obtiveram um bom ganho para o fundo (compraram as ações por aproximadamente R$4 e elas chegaram a valer R$15). Entretanto, por terem uma posição muito grande em uma empresa que era de certa forma arriscada, tiverem de fazer um pouso forçado durante a pandemia, optando por reduzir a posição da varejista no portfólio, quando as ações voltaram a valer R$4.

Veja também: Mundos e Fundos com Paolo Di Sora, da RPS Capital.

Voos futuros – O gestor vê o movimento de aumento das taxas de juros nos países desenvolvidos como resultado de uma reabertura atrelada a um forte crescimento econômico e não como um aumento efetivo da inflação. Com isso considera um bom momento para a renda variável internacional.

No âmbito nacional Marcos também tem uma visão otimista em relação a renda variável.

No Brasil, historicamente, os preços das commodities e o valor do câmbio costumam ser correlacionados. Entretanto, agora, enquanto as commodities estão em alta o Real apresenta uma relevante depreciação. Isso fez com que as empresas dependentes dos preços das commodities (cerca de 30% do Ibovespa) tivessem um bom resultado e sustentassem o resultado do índice. Já as outras empresas estão, de forma geral, com o valor descontado, fazendo com que os indicadores de lucro das ações que compõe o Ibovespa estejam sendo negociados abaixo ou na média histórica.

No ponto de vista político, apesar das próximas eleições terem sido pautadas recentemente depois da possibilidade de o ex-presidente Lula ser candidato, em 2022, o gestor acredita que isso não terá tanto impacto no mercado nesse ano.

Já no fiscal, para Marcos, a aprovação da PEC Emergencial foi fundamental e ele acredita que as possíveis reformas (tributária e administrativa) terão pouco impacto no otimismo do mercado.

Em relação a pandemia, o gestor acredita que mesmo o país estando em seu pior momento, a tendência é que com o aumento da vacinação nos próximos meses e com a diminuição do número de óbitos e internações, a economia volte a reabrir e tenhamos um segundo semestre positivo.

Pousa ou não pousa:

Eletrobras – Marcos pousa no ativo. Das estatais brasileiras (federais e estaduais) é a única em seu portfólio.

A Eletrobras faz atualmente geração e distribuição de energia. As ações da estatal entraram no XP Long Biased FIC FIM durante a pandemia, após uma relevante desvalorização, por Marcos e seu time acreditarem que essa era uma ação defensiva durante o período de crise por não perder arrecadação frente as medidas restritivas.

Apesar da privatização da Eletrobras ser fundamental para a confiança do mercado no longo prazo da empresa (acabaria a desconfiança de possíveis interferências de governos em sua gestão), o gestor não considera esse fato determinante para sua alocação pois acredita nos fundamentos da estatal.

Bancos – O gestor não pousa nesses ativos. O último banco em seu portfólio foi o Banco do Brasil, que teve sua posição zerada no início do presente mês.

No ano passado um dos setores com perdas mais relevantes no fundo durante a crise foi o setor de bancos. Apesar dos bancos terem devolvido parte dessa queda no fim do ano 2020, atualmente há um alinhamento entre as teses do mercado e da gestora para o setor e com isso Marcos não acredita que este seja um bom investimento atualmente.

Commodities – O gestor pousa nesse setor com exposição a diversos ativos: celulose na Suzano, mineração na Vale e siderurgia na Usiminas e CSN. Apesar de haver alguma correlação entre alguns tipos de commodities, para o gestor as teses de cada uma dessas empresas são individuais.

Para ele um dos principais motivos pelo bom momento dessas empresas é a alta na demanda sem a perspectiva de novas ofertas.

Com isso o preço das commodities está subindo, como no exemplo do Aço que só em 2021 subiu cerca de 30%. 

Magazine Luiza – apesar do gestor considerar que a empresa tem uma excelente gestão e reconhecer o erro ao não ter o ativo em seu portfólio durante a forte alta dos últimos anos, ele não pousa.

Boa parte do bom desempenho da Magalu nos últimos anos se deu pela venda de eletrodomésticos e para Marcos as empresas que trazem os melhores resultados nesse setor são as que conseguem realizar vendas de ticket médio menor, como o Mercado Livre e a Amazon (no exterior).

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.