XP Expert

Manual do investidor de startups: as oportunidades do Venture Capital

Conheça os desafios e oportunidades dos investimentos em Startups, com foco principalmente em Venture Capital (“VC”). O VC é uma modalidade de investimento ainda não tão conhecida no Brasil, mas que oferece excelentes oportunidades. Descubra as principais informações que o investidor precisa saber antes de colocar esses investimentos na carteira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Já não é uma novidade que às sextas, um novo episódio do Outliers é divulgado nos agregadores de podcasts e que nosso time de analistas da XP passou a cobrir esses episódios através de relatórios como esse, em que aprofundamos ainda mais com informações e detalhes sobre as temáticas, gestoras e/ou fundo(s) discutido(s) em cada episódio.

Outra coisa que não é novidade, é que a inovação faz parte do DNA da XP. E após um episódio especial de 2 anos do Outliers que reuniu Guilherme Benchimol, fundador da XP, e Romero Rodrigues, um dos fundadores do site Buscapé e hoje sócio principal da gestora de Venture Capital Headline, nada mais justo do que apresentar um “Indo a Fundo no Outliers”, diferente do que costumamos trazer aqui.

Nesta versão, discorreremos com mais detalhes sobre os desafios e oportunidades dos investimentos em Startups, com foco principalmente em Venture Capital (“VC”). O VC é uma modalidade de investimento ainda não tão conhecida no Brasil, mas que oferece excelentes oportunidades pelo estágio das empresas investidas. Dessa forma, montamos um manual com as principais informações que o investidor precisa saber antes de colocar esses investimentos na carteira.

Pequenas empresas, grandes oportunidades

Antes de mais nada, para investir em Startups o investidor precisa entender o que as diferenciam das empresas tradicionais. A começar pelo fato de que as Startups reúnem três elementos básicos: escalabilidade, inovação e tecnologia. Além disso, estamos falando de empresas que estão em sua fase inicial, e por esse motivo oferecem grande potencial de crescimento e, consequentemente, maiores riscos.

O nascimento de uma Startup passa por algumas etapas: começa com o surgimento da ideia, seguido da criação do conceito (produto/serviço), tração, formulação do modelo de negócios, desenvolvimento de uma máquina de vendas, escalabilidade para receitas e vai até o período da expansão, onde a Startup começa a mudar sua estrutura e perder a característica de “fase inicial”, podendo crescer a ponto de se tornar um unicórnio (startups avaliadas em pelo menos US$ 1 bilhão).

Quando falamos em investimentos em Startups que ainda estão na fase de “criação de conceito”, ou seja, estão ainda formulando o produto ou serviço que vai oferecer ao mercado, podemos dizer que se trata de um “Investimentos Anjo”, sendo essa uma das várias modalidades de investimentos em Startups. Essa é uma fase consideravelmente arriscada, já que o negócio está começando a ser estruturado.

Quando avançamos em termos de maturação de negócio, chegamos no VC, também conhecido como capital de risco. Aqui temos investimentos em empresas que estão em sua fase inicial, mas que possuem ao menos um modelo de negócio definido.

Aqui vale um ponto de destaque importante, recentemente abordamos com maiores detalhes os investimentos em Private Equity (“PE”), para falar sobre o foco dos gestores de PE que é investir em empresas com grande potencial de crescimento. Dentro do ciclo de vida de uma empresa, existem diversos pontos de entrada e oportunidades, dessa forma, o que diferencia o PE do VC é o ponto de entrada, sendo reservado ao VC a fase inicial das empresas.

Com a evolução do mercado financeiro, hoje temos modalidades de investimentos segmentados por rodadas, que são divididas de acordo com a fase que a empresa está. Confira a seguir com mais detalhes as diferentes rodadas para a fase inicial da empresa.

XPInc CTA

Assine o Expert Pass e tenha acesso a conteúdos exclusivos

Para cada rodada, um desafio

As rodadas de investimentos servem para segmentar o interesse e perfil de risco de cada tipo de investidor. Em linhas gerais, dentro do VC temos o capital semente, série A, B e C, que está explicado com mais detalhes a seguir, restando claro do que se trata cada rodada, desde o nascimento da empresa.

F&F: “Family and friends”, basicamente é a etapa onde os fundadores da empresa, em seu desejo de empreender buscam pessoas para agregar e apoiarem a iniciativa. Sendo a fase inicial, são os fundadores responsáveis pela concepção da ideia que ficam com a responsabilidade de levantar o capital inicial.

Aceleradoras Anjo: aqui estão os já conhecidos “Investidores Anjo”. Onde são realizados investimentos para levantar a concepção do negócio, em resumo, tirar a ideia do papel, criar soluções efetivas e que sigam as características básicas de uma Startup: inovação, tecnologia e escalabilidade. 

Early Seed e Late Seed: aqui temos os chamados “capital semente”, recurso destinado a bancar, estruturar e dar tração ao modelo de negócio da Startup. Assim como os “investimentos anjo” também temos alto risco atrelado, dadas as inseguranças inerentes dessa etapa da empresa, que ainda está no chamado “Vale da Morte” (zona que é conhecida pela falência da empresa em seu estágio inicial e que comentaremos com mais detalhes a seguir).

Série A: contratar um time qualificado, implementar avanços tecnológicos, acelerar o que já faz bem. Aqui na série A existe o desafio de escalar o negócio.

Série B: o objetivo de expansão segue na série B, mais focada em receitas, encontrando formas de aumentar os ganhos sem necessidade de injetar mais recursos.

Série C: por último, tirando as empresas da sua fase inicial temos a expansão não apenas das receitas, mas pode ser geográfica, de produto ou de cliente. O que importa é garantir o crescimento do negócio.

O Vale da Morte das Startups

Não podemos falar sobre investimentos em empresas em sua fase inicial sem falar do já citado aqui “Vale da Morte”. O nome por si assusta, mas não é por menos: é um dos momentos mais críticos da existência de uma empresa, onde os riscos de chegar à falência são altos. Esses riscos são oriundos de fatores como: endividamento – decorrente da necessidade de investimentos consideráveis para dar início a disponibilização de produtos e serviços que demandam constante aperfeiçoamento, levando-se em conta a existência de concorrentes potenciais, entre outros.

Uma pesquisa realizada pelo Insper, Spectra e Abvcap para avaliar o desempenho dos investimentos em PE e VC no Brasil, mostrou que dentro dos negócios investidos e desinvestidos entre 1984 e maio de 2021, predominam 5 principais rotas de “saídas”: (i) a “estratégica” ou seja, venda para outra empresa ou venda comercial; (ii) o “patrocinador para patrocinador”, que trata da venda para outro fundo ou venda secundária; (iii) a “recompra”, que trata da venda para o proprietário; (iv) IPO, que é a abertura de capital da empresa na bolsa de valores e, por último, através das (iv) “baixas” ou seja, falência das empresas.

A pesquisa chegou a números que demonstram na prática os riscos de se investir em empresas em sua fase inicial. Do total das investidas analisadas, 55% das “saídas” foram realizadas através da venda do negócio para outra empresa ou venda comercial. Por outro lado, em 24% dos casos a saída foi através da “baixa” da empresa, ou seja, falência.

Quando segmentamos as empresas por tipo, existe uma diferença considerável entre as chamadas empresas “tecnológicas” e não tecnológicas”, onde 41% das empresas denominadas “tecnologias” tiveram saída decorrente da “baixa”, contra 14% das empresas não tecnológicas.

A fragilidade desses negócios está diretamente atrelada aos desafios encontrados por essas empresas. Por este motivo, para investir em Startups é necessário ter a diversificação como pilar estratégico, e realizar uma seleção de gestores experientes que saibam lidar com os desafios desse mercado. 

Diversificação como pilar estratégico

Sabemos que a palavra diversificação sempre aparece em todas as classes e oportunidades apresentadas. Mas vale lembrar que essa é uma forma eficaz de trazer ao investidor excelentes retornos com um risco reduzido. E isso se aplica aos investimentos em Startups, que como já comentamos anteriormente possui diversos riscos atrelados.

Dessa forma, na hora de compor um portfólio com esse tipo de investimento, o investidor precisa levar em consideração o tamanho da parcela de risco disponibilizada e em como essa posição está estruturada em termos de alocação. Idealmente fazer uma boa seleção faz diferença, mas diluir o risco através de diversos investimentos vai garantir ao investidor potencializar seus retornos.

Confira o episódio 58# do Outliers com Guilherme Benchimol e Romero Rodrigues

Durante o episódio #58 do Outliers, Romero Rodrigues reforça a importância da diversificação nesse tipo de portfólio e comenta que o tamanho da exposição em um fundo vai depender da rodada de investimento em questão. Ainda de acordo com o gestor, quando se trata de Investimento Anjo, para compensar o excesso de risco é ideal ter de 50 a 70 empresas investidas. Já quando avançamos para empresas entre o “capital semente” e a série A, o recomendado fica entre 20 e 25 empresas no portfólio.

Invista com especialistas

Investir em negócios que se encontram em sua fase inicial pode ser uma excelente oportunidade para investidores que desejam alavancar sua rentabilidade. E se esses negócios forem escaláveis, poderão se tornar um verdadeiro motor de crescimento, e consequentemente gerar bons retornos.

Nesse momento, o “timing” de investimento faz toda diferença, pois na medida que essas soluções aparecem e atraem atenção, deixam de ser exclusivas e começam a perder o potencial retorno ao longo do tempo. Para entender essa relação de timing x retorno nos investimentos, basta olhar para uma empresa de grande capitalização negociada na bolsa de valores, até chegar ao seu valor de mercado ela começou pequena, e aqueles que acompanharam seu crescimento, viram o patrimônio crescer – e seus investimentos renderem consideravelmente.

Por outro lado, como “não existe almoço grátis” o investidor que deseja alavancar sua rentabilidade investindo em Startups precisa estudar bem o negócio de interesse, entender o mercado, levar em consideração o estágio de investimento, alinhar de acordo com a tolerância e horizonte de investimento e dedicar o tempo necessário para acompanhar as investidas.

Se você é do tipo de investidor que prefere terceirizar essa gestão, pode contar com a XP que vem trabalhando cada vez mais para oferecer um ecossistema completo de soluções de investimentos adequadas a cada perfil de investidor. Contate seu assessor de investimentos e descubra as melhores oportunidades de investimentos em Startups.

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório.

Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor.

O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Resolução CVM nº 20/2021 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório.

Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos.

O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a Resolução CVM nº 16/2021, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários –ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais.

Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor.

A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes nesse material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes.

Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo.

A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas.

Para fins de verificação da adequação do perfil do investidor aos serviços e produtos de investimento oferecidos pela XP Investimentos, utilizamos a metodologia de adequação dos produtos por portfólio, nos termos das Regras e Procedimentos ANBIMA de Suitability nº 01 e do Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para Distribuição de Produtos de Investimento. Essa metodologia consiste em atribuir uma pontuação máxima de risco para cada perfil de investidor (conservador, moderado e agressivo), bem como uma pontuação de risco para cada um dos produtos oferecidos pela XP Investimentos, de modo que todos os clientes possam ter acesso a todos os produtos, desde que dentro das quantidades e limites da pontuação de risco definidas para o seu perfil. Antes de aplicar nos produtos e/ou contratar os serviços objeto deste material, é importante que você verifique se a sua pontuação de risco atual comporta a aplicação nos produtos e/ou a contratação dos serviços em questão, bem como se há limitações de volume, concentração e/ou quantidade para a aplicação desejada. Você pode consultar essas informações diretamente no momento da transmissão da sua ordem ou, ainda, consultando o risco geral da sua carteira na tela de carteira (Visão Risco). Caso a sua pontuação de risco atual não comporte a aplicação/contratação pretendida, ou caso existam limitações em relação à quantidade e/ou volume financeiro para a referida aplicação/contratação, isto significa que, com base na composição atual da sua carteira, esta aplicação/contratação não está adequada ao seu perfil. Em caso de dúvidas sobre o processo de adequação dos produtos oferecidos pela XP Investimentos ao seu perfil de investidor, consulte o FAQ. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE A Resolução CVM nº 16/2021.

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.