Como a alavancagem em fundos pode potencializar seus ganhos – e suas perdas

Entenda como esse mecanismo é utilizado nos fundos de investimento e os alertas que damos aos investidores


Compartilhar:


O tema da alavancagem em fundos de investimento chamou a atenção de muitos investidores no período da crise atual. Muitas das perdas elevadas entre os fundos de maior nível de risco se deram em estratégias que faziam uso de alavancagem, e o temor em relação a o que mais poderia acontecer com esses fundos aumentou.

Será que o meu fundo vai quebrar?

Será que o gestor foi irresponsável nesta estratégia?

Nesse contexto, o intuito desta publicação não é defender se o uso de alavancagem é bom ou ruim – mesmo porque não podemos generalizar uma opinião como essa para as diversas estratégias de fundos e os diferentes perfis de investidor. O objetivo aqui é trazer à luz os conceitos relacionados à alavancagem (motivos de alegria ou tristeza), para que o investidor tenha maior clareza sobre o assunto e possa tomar decisões de investimento embasadas.

O que é a alavancagem?

No sentido figurado, alavanca é uma força que impulsiona e, trazendo para o mundo das finanças, alavancar seria potencializar um investimento. Em termos técnicos, o fundo de investimento está alavancado quando tem uma exposição financeira maior que seu patrimônio líquido. Isso é feito comumente por meio de derivativos, com o intuito de potencializar o retorno, seja na compra ou na venda de determinados ativos.

Formas comuns de alavancar:

  • Mercado de futuros: o fundo pode ter exposição financeira maior que seu patrimônio líquido comumente por meio de contratos futuros de taxas de juros (futuro de DI), por exemplo.
  • Mercado de opções: ao comprar uma opção de compra (call), o fundo pode ter uma exposição elevada a uma ação, mesmo desembolsando um baixo volume financeiro (o prêmio da opção).
  • Mercado de termos: por meio de operações a termo no mercado de ações, os fundos podem aumentar a exposição em ações com o compromisso de desembolsar o valor financeiro apenas em uma data futura.

Por que investir em fundo que pode alavancar?

A alavancagem é uma forma utilizada pelo gestor para buscar um nível particular de retorno ajustado ao risco, isto é, para alcançar o que se propõe a entregar em termos de objetivos de retorno e volatilidade. E para que o gestor alcance objetivos elevados, muitas vezes é preciso alavancar.

Investir em fundos que podem alavancar é, então, ter na carteira produtos com objetivos de retorno e volatilidade potencialmente maiores. E isso pode ser uma ótima alternativa para ajustar o nível de risco total da carteira do investidor. Fundos mais arriscados trazem retornos potencialmente maiores, mas é fundamental que estejam devidamente calibrados na carteira, senão podem trazer muita dor de cabeça…

Um exemplo marcante de ganhos expressivos com alavancagem foi o de um fundo de ações XYZ, lançado na década passada, que acumulou retorno de 878% – incrivelmente maior do que a alta de 326% do Ibovespa – no período abaixo, utilizando-se de alavancagem excessiva:

Fonte: Economatica

E o que pode dar errado?!

Pegando o mesmo exemplo anterior, o fundo XYZ, ao atravessar o início da crise de 2008 – um cenário de stress – viu todos os seus ganhos acumulados evaporarem em pouco mais de 7 meses: uma perda de 98,5% do patrimônio líquido. Foi do zero ao topo, ao zero. Uma perda tão expressiva chega a ser um exemplo raro na história da indústria de fundos, mas é reflexo de uma estratégia que tomava riscos de uma maneira igualmente expressiva.

Fonte: Economatica

Em exemplos não tão raros quanto o caso acima, mas de fundos que também usam alavancagem, é possível haver perdas excessivas – às vezes muito maiores do que o que os investidores sequer imaginariam – que estão diretamente relacionadas aos riscos que o fundo assume.

Assim, é fundamental que o investidor esteja ciente do perfil de risco de um fundo de investimento antes de realizar uma aplicação. Isso pode ser verificado pelo objetivo de volatilidade do fundo, ou simplesmente analisando-se a sua volatilidade histórica. É possível também verificar quais foram as quedas máximas que o fundo já teve no passado, o que pode ser feito de maneira prática no comparador de fundos da Vérios, na seção “underwater” como no exemplo de um dado fundo abaixo:

Fonte: Vérios

No exemplo, o gráfico mostra que o fundo chegou a ter uma queda de cerca de 18% no período da crise.

Ao analisar o histórico passado de um fundo, por mais que isso não garanta seu comportamento futuro, é possível alinhar melhor as expectativas do investidor.

Os alertas que ficam

A possibilidade de alavancar é bastante comum entre estratégias de fundos com maior nível de risco. Entretanto, sugiro não pensar no rótulo “alavancado x não alavancado” – afinal, existe um conjunto diverso de estratégias para esses fundos, cada qual com seus riscos específicos e sistemáticos e, principalmente, cada qual com seus respectivos objetivos de retorno e volatilidade.

O que é fundamental para todo investidor é avaliar e estar ciente do nível de risco apresentado por cada fundo de investimento, a partir de seu objetivo de volatilidade, sua volatilidade histórica e as perdas que já teve no passado. Nesse sentido, a possibilidade de alavancar é um elemento que permite o maior nível de risco perseguido pelo fundo.

É preciso estar atento inclusive para fundos que apresentem retornos muito superiores aos seus concorrentes e aos índices de referência – ainda que não tenha tido quedas expressivas, os ganhos podem ser fruto de tomada de risco excessivo – e um dia o efeito contrário pode chegar.

Busque se informar.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM