XP Expert

O ano da renda fixa? Economistas avaliam ciclos no Brasil, EUA e principais oportunidades

Convidados analisaram oportunidades na renda fixa em meio ao cenário atual

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O dia de abertura da Expert XP 2023, maior festival de investimentos do mundo, contou com discussões sobre os principais temas do mercado financeiro, exclusivamente para assessores e colaboradores da XP. Em um dos painéis da Pop Up Bolsa e Mercados, Natalie Victal, economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Marco Caruso, economista-chefe do Banco Original, e Marcelo Freller, estrategista macro da XP, conversaram sobre as oportunidades, no que chamaram de “O ano da Renda Fixa“.

A conversa abordou desde os impactos do cenário internacional no Brasil e o que podemos esperar para esses ativos nos ciclos adiante. O processo do do ciclo de cortes da Selic por parte do Banco Central (BC) , assim como a visão da próxima composição do BC.

Alta nas treasuries dos EUA: impacto global

Para os especialistas, a alta nas treasuries foi um “alinhamento de astros”, puxado principalmente pelo pacote de incentivos que levou a uma compra massiva de títulos pelo governo americano. Somado à pouca sinalização de intenções de contração fiscal, sinalizações de que os pacotes de incentivo possam ser permanentes e efeitos sazonais, como férias e a proximidade de eleições, há grande aversão ao risco. Com isso, os indícios são de meses importantes para a descompressão de risco adiante.

Ciclo de cortes no Brasil

Sobre a recente decisão do Copom por cortar a Selic em 0,50 p.p., os convidados acreditam que o cenário ainda é incerto. Marco Caruso disse que foi surpreendido pelo tom duro (hawkish) do comunicado, que deu indicativos que a política poderia continuar sendo contracionista, apesar do primeiro corte após um longo período de juros altos. “Tenho sentimentos mistos sobre isso, pois acredito que as indicações econômicas mostram que é preciso o controle pelo lado fiscal. Mas tem um fator político que pode levar a experimentar taxas mais expansionistas”, avalia o especialista.

Na visão de Natalie, o ponto fiscal é o mais importante, pois um resultado pior do que o previsto pelo governo não deve ser uma surpresa para o mercado. Assim, ela visualiza a possibilidade de um “pouso suave” da economia, como refletido no cenário mostrado pelo boletim Focus, com variação negativa do PIB no quarto trimestre catalisando debates mais intensos.

Oportunidades de investimentos

Para Marcos Caruso, o investidor deve evitar títulos de renda fixa pré-fixados de prazo mais longo, pois acredita que a troca no comando do Banco Central deve levar a cortes mais expressivos na taxa básica de juros. Natalie vê valor em fundos de crédito privado, pois a gestão ativa tem compensado bastante com retornos expressivos- principalmente  após episódios como os do começo deste ano, com Americanas e Light protocolando recuperações judiciais.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.