XP Expert

Restam apenas 2 milhões de Bitcoins não minerados – Radar Criptomoedas

MACRO Criptoativos recuam na semana com postura contracionista do Federal Reserve americano. No agregado, o valor das criptomoedas retornou para US$ 2,11tri, uma queda de -5,9% vs. a semana anterior. O efeito do aperto monetário americano voltou a impactar a performance dos ativos de risco globais. A semana foi marcada por pronunciamentos dos membros do […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

MACRO

Criptoativos recuam na semana com postura contracionista do Federal Reserve americano. No agregado, o valor das criptomoedas retornou para US$ 2,11tri, uma queda de -5,9% vs. a semana anterior. O efeito do aperto monetário americano voltou a impactar a performance dos ativos de risco globais. A semana foi marcada por pronunciamentos dos membros do banco central americano e a divulgação da última ata do comitê de política monetária americano, sinalizando uma possível redução do balanço já no próximo mês e possíveis altas de 50 bps nas próximas reuniões. Vale ressaltar que apesar da alta inflação global, um cenário de alta de taxa de juros poderá reduzir a atratividade do Bitcoin, uma vez que ativos de renda fixa considerados de alta segurança oferecerão retornos pouco mais atrativos.

Investidores de varejo registram forte atividade de compra

Fonte: Cointelegraph, Glassnode, XP Research,

O gráfico acima, da Glassnode, mostra uma variação patrimonial positiva das carteiras com menos de 1 Bitcoin nos últimos 30 dias. Como observado, em 2022, os investidores de varejo vêm registrando um forte movimento de compra da maior criptomoeda do mercado. Este indicador costuma estar associado com possíveis topos para o preço do ativo, uma vez que os movimentos de compra tendem a ser puxados por FOMO (medo de ficar de fora) da apreciação do ativo. Atualmente, carteiras com patrimônio entre 0,1 BTC e 1 BTC possuem mais de 800 mil moedas em conjunto.

Interesse pela atualização do Ethereum ganha tração

Fonte: Google Trends, XP Research.

Segundo o Google Trends, o volume de pesquisas pela nova atualização do Ethereum, chamada “The Merge” disparou em março. Com o foco do mercado retornando ao ativo, analistas começam a especular a possibilidade da criptomoeda atingir o patamar de US$ 4 mil nos próximos meses. A nova atualização marcará a transição do criptoativo do formato de mineraçao Proof of Work para o Proof of Stake. Além disso, o movimento de alta poderá ter suporte no baixo volume do ativo nos balanços das corretoras, o que catalisaria um aumento de demanda com oferta reduzida, e o contínuo aumento no volume de endereços com um volume de ETH acima de zero, o que sugere uma maior adoção do ativo.

Fonte: Coingecko, XP Research. *Os dados acima são até às 18:00 de 07/04/2022

As maiores criptomoedas fecharam a semana em campo negativo, com destaque para Avalanche e Cardano. Ambas concluíram com quedas superiores a 8%, à medida que a demanda por aplicativos descentralizados caiu levemente nos últimos 7 dias.

NOTÍCIAS

gold and silver round coins

Restam apenas 2 milhões de Bitcoins não minerados

Na última sexta-feira, a maior criptomoeda do mercado atingiu a marca de 19 milhões de ativos minerados. Com o novo patamar atingido, a oferta adicional do ativo se limitaria a mais 2 milhões de Bitcoins, ou seja, menos de 10% do volume total passivo de mineração. O algoritmo da moeda digital foi calibrado de forma a permitir que apenas 21 milhões de unidades sejam criadas, e estimativas apontam que, pelo ritmo atual de mineração, todos os Bitcoins serão minerados até 2040. A estimativa leva em consideração o aumento na dificuldade da mineração da moeda chamada de halving que corta pela metade o número de BTCs a serem minerados por bloco de transações na blockchain. Atualmente, a cada bloco 6,25 BTCs são criados, mas em 2024 este número será reduzido para 3,125 moedas.

Escassez aumenta, assim como a adoção

A companhia de investimentos VanEck, publicou um relatório afirmando que o potencial de apreciação do Bitcoin poderá ser duas vezes o do ouro caso a moeda se torne, de fato, uma reserva de valor global. Os analistas da firma relataram que o preço da maior criptomoeda do mercado poderá variar de US$ 1,3 milhões até US$ 4,8 milhões. Contudo, o relatório também reforça que as previsões atuais são apenas uma linha de raciocínio incipiente para a precificação do Bitcoin caso a criptomoeda se torne a moeda global ou seja considerada uma reserva de valor eficaz no futuro.

photo of three person sitting and talking

Millenials revelam investimentos em criptomoedas visando aposentadoria

Uma pesquisa feita pelo Investopedia revelou que a geração dos millenials americanos espera utilizar os criptoativos como veículo de investimento de longo prazo visando uma aposentadoria confortável. Os dados apontam que 28% dos respondentes sinalizaram interesse em investir nos criptoativos. O resultado das respostas supera até mesmo o número de participantes que planejam investir em poupança (25%) e ações (27%). Traçando um comparativo entre gerações, o número dos millenials interessados nas moedas digitais supera os 20% da geração Z e 17% da geração Y. Por outro lado, dos respondentes da pesquisa, apenas 27% afirmaram possuir um sólido conhecimento sobre os criptoativos, sendo este menor volume de respostas positivas dentre todas as classes de ativos abordadas, indicando uma possível evidência de FOMO (medo de ficar de fora) dos respondentes.

Outro dado importante levantado, foi o imediatismo da nova geração. A pesquisa abordou também a faixa etária em que as gerações esperavam se aposentar e, os millenias apresentaram a média de idade mais baixa (61) vs. os baby boomers (68) e outras gerações anteriores. Este fator pode indicar um dos motivos da maior inclinação dos millenials para investir em cripotativos, dado o seu alto risco, volatilidade e potencial de retorno.

Meta prepara lançamento de criptomoeda proprietária

A Meta, empresa mãe do Facebook, está se preparando para introduzir tokens virtuais e criptomoedas em sua família de aplicativos visando a remuneração de criadores, e o fornecimento de serviços financeiros. Segundo o Financial Times, o movimento ainda está em estágio inicial e faz parte dos planos da companhia para ampliar seus serviços que serão fornecidos no metaverso. Caso a empresa obtenho sucesso na nova empreitada, o mercado poderá interpretar positivamente o produto, uma vez que servirá como um novo canal de receitas através de novas comissões e controle sobre as transações dentro da sua gama de aplicativos como Facebook, Instagram, Whatsapp e sua plataforma de realidade virtual do Meta Quest.

As criptomoedas da Meta podem não seguir as diretrizes de descentralização vistas no mercado, uma vez que a empresa possui planos para ter um controle central da moeda digital. Um porta-voz da companhia afirmou nesta quarta-feira que o Facebook não possui atualizações significativas a serem compartilhadas, mas que a empresa está focada no desenvolvimento do metaverso e isso inclui a criação de novos meios de pagamento e serviços financeiros. Recentemente, Marck Zuckerberg, também pontuou que irá introduzir NFTs em um futuro próximo.

DE OLHO NO MERCADO

Fonte: Coingecko, XP Research. *Os dados acima são até às 18:00 de 07/04/2022
Fonte: Coingecko, XP Research. *Os dados acima são até às 18:00 de 07/04/2022

O gráfico acima mede o nível da correção atual no preço das maiores criptomoedas vs. a sua máxima histórica. Segundo os dados, apesar da recuperação recente, grande parte das moedas ainda se encontram em bear market após o período de forte correção que não só impactou as cotações, como também contribuiu para uma redução no volume de negociações das moedas.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.