XP Expert

Gastos no metaverso podem atingir US$ 5 trilhões até 2030 – Radar Criptomoedas

Celsius continua causando preocupações, Solend viola princípios de descentralização e projeções para o metaverso da McKinsey.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

MACRO

Semana de leve recuperação para os criptoativos. No agregado, o valor das criptomoedas avançou levemente para US$ 0,96 trilhões, registrando uma alta de +4,7% vs. a semana anterior.

Mineradores em forte movimento de venda

Fonte: Arcane Research.

Segundo dados da Arcane Research, os mineradores de Bitcoin começaram um forte movimento de capitulação e realizaram suas reservas. O gráfico acima mostra a forte escalada das vendas vs. os 4 primeiros meses do ano. De janeiro a abril o volume vendido ficava de 30%-40% do volume total minerado, mas no mês de maio este número saltou para 100% de produção e mais de 4 mil Bitcoins foram vendidos apenas pelos mineradores. O movimento foi causado pela forte correção no preço da moeda, atrelado ao alto nível de dificuldade da atividade em virtude hashrate elevado da rede. Os altos custo de mineração somados ao preço comprimido da moeda acabaram forçando os mineradores a realizarem grande parte de sua produção para cobrirem custos.

Investidores de longo prazo parecem também perder as esperanças

Fonte: Glassnode.

Investidores de longo prazo (os que possuem moedas em carteira que não se movimentaram por mais de um ano) também estão iniciando um movimento de venda, sugerindo um, ainda incipiente, movimento de capitulação. Apenas ao longo da última semana, 178 mil Bitcoins que não eram negociadas há mais de um ano trocaram de mãos. Colocando em perspectiva, o valor representa 1,31% do volume total presente em carteiras digitais de longo prazo e foi realizado apenas na última semana.

Bitcoin parece mais “barata”, mas ainda há mais espaço para queda

Fonte: Glassnode.

O múltiplo MVRV, comparado ao preço/lucro das ações, encontra-se levemente abaixo do patamar pré-pandemia, período em que Bitcoin ainda não tinha passado pela forte apreciação. O indicador sugere que atualmente a moeda está mais “barata” em torno dos US$ 21 mil do que próxima aos US$ 8 mil de 2020. Contudo, o valor de 0,85 para este múltiplo ainda é considerado alto vs. as crises e bear markets anteriores. Em 2018, o indicador atingiu 0,64 e em 2015 atingiu 0,4. Como resultado, olhando apenas para este múltiplo, ainda há espaço para uma queda ainda maior da maior cripomoeda do mercado.

Fonte: Coingeck, XP Research. *Os dados acima são até às 16:00 de 23/06/2022

NOTÍCIAS

Celsius está à beira da falência?

A Celsius, empresa de empréstimo de criptomoedas, recentemente decidiu pausar todos os saques de contas, provocando temores de que possa estar prestes a falir. A empresa empresta os fundos dos clientes de forma semelhante à um banco, mas sem os rigorosos requisitos de liquidez impostos aos credores tradicionais. Como resultado da forte correção no mercado de criptoativos, investidores correram para sacar seus fundos da Celsius Network, causando uma falta de liquidez por parte da companhia e forçando-a a congelar os saques. O movimento causou forte preocupação no mercado como um todo e investidores especulam se a rede poderia se tornar um novo desastre assim como o visto com a stablecoin Terra. A Celsius foi uma das instituições que mais cresceu no mercado de criptomoedas e tinha 800 pessoas trabalhando para a empresa, com o número de funcionários aumentado em mais de 200% apenas no ano passado. A possível queda da rede sugere que nem mesmo instituições com um nível elevado de desenvolvimento estão imunes à forte volatilidade e riscos dos criptoativos.

A Celsius está há cerca de uma semana pausando retiradas, trocas e transferências de ativos entre os usuários. Em paralelo a empresa disse que está mantendo um diálogo aberto com reguladores e autoridades e planeja continuar trabalhando com eles em um plano para solucionar este problema. A companhia também pausou as comunicações no Twitter Spaces e outras mídias sociais para focar nos desafios que a companhia vem enfrentando, e ainda não comentou quando deve estabilizar suas operações. Por fim, uma possível liquidação dos ativos da Celsius abalaria ainda mais o mercado já fragilizado de criptoativos, levando a uma rodada ainda mais ampla de temores contra esse tipo de ativo.

Solend o protocolo nem tão descentralizado

O Solend, um protocolo de empréstimos descentralizado na rede Solana, evitou por pouco que 95% dos depósitos SOL em sua carteira de empréstimos fossem liquidados, visando impedir que seu ecossistema entrasse em colapso por causa de uma única baleia (termo do mercado, utilizado para se referir a um investidor que detém grandes quantidades de criptomoedas). A conta tinha um empréstimo pendente de US$ 108 milhões em US Dollar Coin (USDC) e Tether (USDT), garantidos em SOL, a criptomoeda nativa da rede Solana. O empréstimo corria o risco de ser liquidado, já que o preço do SOL despencou na semana passada.

No domingo, Solend aprovou uma proposta concedendo poderes emergenciais para assumir a conta da baleia, um movimento sem precedentes no mundo DeFi. A plataforma disse que a medida permitiria liquidar os ativos da conta por meio de transações “de balcão” para evitar uma possível cascata de liquidações. A medida levou a uma reação no Twitter, com alguns usuários questionando a descentralização de Solend, uma vez que um dos princípios centrais do DeFi (finanças descentralizadas) é que ele é uma alternativa contra instituições centralizadas. Contudo, no início da terça-feira, a plataforma anunciou que o mutuário da baleia havia transferido US$ 25 milhões em dívidas do USDC para a Mango Markets, outro protocolo de empréstimo baseado em Solana, aliviando assim a Solend  e reduzindo seus riscos de colapso.

Gastos no metaverso podem atingir US$ 5 trilhões até 2030

Em um relatório publicado pela empresa de consultoria McKinsey, intitulado como “Value creation in the metaverse”, projeções apontam que os gastos globais no metaverso podem chegar a US$ 5 trilhões até 2030. Publicado na semana passada, o relatório analisou as tendências de adoção de diferentes públicos com a criação de duas pesquisas, uma com a participação de 3.104 consumidores em 11 países, enquanto a outra contava com uma série de executivos de 448 empresas em 15 setores em 10 países diferentes. Com os dados da pesquisa, a McKinsey descobriu que cerca de 60% de todos os consumidores participantes preferem pelo menos uma atividade no mundo virtual em comparação com sua alternativa física, e que 79% dos consumidores atualmente ativos no metaverso já fizeram uma compra. Entre os executivos, 95% deles acreditam que o metaverso terá algum tipo de impacto positivo para o seu setor e cerca de 25% disseram esperar que o metaverso impulsione 15% do crescimento total da margem de sua organização em cinco anos. 

Além disso, de acordo com o relatório, o e-commerce é visto como o meio que oferece a maior oportunidade, com um valor de mercado previsto de US$ 2,6 trilhões, enquanto o aprendizado virtual deve atingir US$ 270 bilhões, seguido por publicidade US$ 206 bilhões e jogos com US$ 105 bilhões.

A projeção de US$ 5 trilhões da McKinsey previstos para o ano de 2030 é uma das estimativas mais ousadas que tem um prazo definido. A Bloomberg também apresentou sua própria estimativa, que previa um valor de mercado de aproximadamente US$ 800 bilhões em 2024, enquanto o emissor do fundo Global X ETF espera que o mercado atinja US$ 1,5 trilhão até 2029.

DE OLHO NO MERCADO

Fonte: Coingeck, XP Research. *Os dados acima são até às 16:00 de 23/06/2022
Fonte: Coingeck, XP Research. *Os dados acima são até às 16:00 de 23/06/2022
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.