Conheça investimentos seguros que rendem bem

Todo investidor quer alta rentabilidade, segurança e liquidez. O problema é que ainda não existes produtos no mercado financeiro que sejam investimentos seguros e atenda a todas essas características de uma única vez. Por isso, é necessário saber do que você quer abrir mão dentre essas três características para conseguir uma boa rentabilidade sem fugir do […]


Compartilhar:


Todo investidor quer alta rentabilidade, segurança e liquidez. O problema é que ainda não existes produtos no mercado financeiro que sejam investimentos seguros e atenda a todas essas características de uma única vez.

Por isso, é necessário saber do que você quer abrir mão dentre essas três características para conseguir uma boa rentabilidade sem fugir do seu perfil de investidor.

Para quem quer segurança e alta rentabilidade, há uma série de produtos indicados em renda fixa, conforme explica Júlio Mello, responsável pela área de assessoria de novos clientes da XP Investimentos.

“Os mais clássicos são os títulos de dívida, que podem ser públicos, bancários ou corporativos”, comenta o especialista.

Títulos públicos são títulos de dívida emitidos e garantidos pelo Governo Federal, enquanto que os títulos bancários, como o próprio nome sugere, são emissões de dívidas bancárias. Já os corporativos são emissões de dívidas por parte de empresas.

Os títulos bancários são garantidos pelo FCG, o Fundo Garantidor de Créditos, para investimentos de até R$ 250 mil por instituição financeira por CPF, o que faz com que ele se torne um ativo de risco baixo.

Para Mello, os ativos mais interessantes para quem está começando no mercado financeiro seriam os títulos bancários, como CDBs (Certificado de Depósito Bancário), LCIs (Letras de Crédito Imobiliário), LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) e LCs (Letras de Câmbio).

“Os títulos públicos são mais seguros das três opções e, por isso, a rentabilidade é menor. Os bancários pagam melhor sem deixar de lado a segurança”, comenta.

Continue lendo para saber mais sobre:

– Como escolher o melhor título bancário?

– Títulos corporativos

– Fundos de Renda Fixa

– Diversificação

– Como investir com segurança

 

Como escolher o melhor título bancário?

O investidor já sabe que para obter o maior retorno, ele tem que estar disposto a correr mais riscos. No sistema bancário, há bancos grandes, médios e pequenos, sendo que os grandes tendem a ser mais seguros do que os pequenos.

No entanto, como estamos falando de títulos bancários, é importante lembrar que todos os bancos, independentemente do tamanho, contam com a garantia do FGC.

O FGC garante até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado ao teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Para mais informações, acesse o site do FGC http://www.fgc.org.br/.

Por isso, os ativos de bancos de menor porte acabam sendo mais atrativos. Justamente porque grandes bancos geralmente oferecem produtos bancários com uma remuneração abaixo do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Assim, os ativos de bancos menores têm uma melhor remuneração por terem mais risco atrelado.

E o CDB?

A equipe de análise da XP fez uma comparação entre o CDB de um banco grande em relação ao CDB de um banco menor para exemplificar melhor o que falamos.

Levando em conta dados base de setembro de 2019, com a Selic em 5,5% ao ano e DI (Depósitos Interfinanceiros) futuro de 6% ao ano, o investidor que aplicou R$ 10 mil em um CDB de um banco de menor porte com prazo de vencimento em 3 anos e rentabilidade de 116% do CDI ao ano, receberá no final o valor de R$ 11.902, líquido de imposto de renda. Vale ressaltar que a Selic atualmente está em 3,75% (dados de março de 2020).

Já se esse mesmo investidor tivesse optado por CDB de banco maior, que oferece 85% do CDI ao ano e com prazo de vencimento em 3 anos, ele teria R$ 11.356, líquido de imposto de renda.

O mesmo ocorre em relação ao LCIs e LCAs: os dos menores bancos geralmente oferecem melhor remuneração, por isso é preciso levar em conta esses fatores na hora de investir. Vale destacar que essas duas aplicações são isentas de imposto de renda para pessoa física.

Títulos corporativos

Os títulos corporativos não têm a garantia do FCG, já que eles possuem o risco de crédito da empresa emissora. “Não dá para generalizar que esses são os menos seguros. Há grandes empresas em que o risco de quebra é quase o mesmo de o país quebrar. É preciso analisar cada caso”, conta Júlio Mello.

Fundos de renda fixa

Outra alternativa, segundo Júlio, são os fundos de renda fixa. Esses fundos têm um percentual já pré-determinado de investimento em aplicações de renda fixa.

O controle dele é feito por um gestor, que faz a administração dos ativos de acordo com seus conhecimentos. Por isso, os fundos geralmente cobram taxas de administração e de performance sobre os rendimentos.

Diversificação

A diversificação é a atitude mais recomendada para quem não quer perder dinheiro, já que ela permite equilíbrio na carteira. Ou seja, se um ativo não for tão bem, os outros podem compensar os rendimentos.

Em um cenário de juros baixos a longo prazo, um bom exemplo seria investir em Tesouro Direto , por exemplo.

Como investir com segurança

O primeiro passo para ter investimentos seguros é abrir conta em uma plataforma de investimentos. E uma das alternativas é abrir uma conta na XP. Após a abertura da conta, você terá acesso aos produtos disponibilizados pela empresa.

Uma dica para quem tem dúvidas sobre como começar e quer entender melhor as diferenças de rendimentos é usar o simulador da XP.

Outro fator importante é que na XP o investidor não paga por abertura e manutenção de conta, custódia de renda fixa e de Tesouro Direto. Isso sem contar que não é cobrada nenhuma tarifa de TED para retiradas de rendimentos.

Conclusão

A renda fixa tem uma série de produtos indicados para quem quer rentabilidade, mas sem correr grandes riscos. Mesmo em momentos de taxas de juros baixas, é possível ter investimentos seguros. Os títulos bancários de bancos de pequeno porte, inclusive, podem ser bastante atrativos.

Além de pagarem melhor do que os de banco maiores, os títulos são garantidos pelo FCG. Isso se forem seguidas as regras que citamos acima no texto, o que os torna ativos de baixo risco.

Outro ponto importante que o investidor precisa ficar de olho é a diversificação. Isso permite um equilíbrio da carteira, ou seja, se um ativo sofre uma queda, outros podem compensar.

Conte com os assessores da XP para as melhores escolhas de investimentos seguros que rendam bem e aproveite para diversifique suas aplicações.

Quer mais dicas para investir seu dinheiro? Conheça o curso “Primeiros Passos no Mundos dos Investimentos” e descubra como fazer seu dinheiro render mais por meio de produtos de renda fixa, fundos de investimentos, fundos imobiliários e ações.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.