DEB Cteep – MAI/2044

DEB Cteep – MAI/2044

  • Vencimento 15/05/2044
  • Rentab. IPC-A + 5,20%
  • Liquidez No Vencimento
  • Juros Semestral
  • Rating AAA(bra)
  • Risco (0 - 100) 24 Risco Médio

    A nova pontuação de risco leva em consideração critérios de risco, mercado e liquidez. Para saber mais, clique aqui.

  • Preço Unitário R$ 1.000,00

Análise do Emissor

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A CTEEP é a maior empresa privada do setor de transmissão no Brasil, segmento responsável pelo transporte da energia gerada até os centros consumidores de carga. A companhia está presente em 17 estados brasileiros e transmite cerca de 33% de toda a energia do Brasil, 60% da energia consumida na região Sudeste e 94% da energia do Estado de São Paulo. No primeiro semestre de 2021, a receita líquida apresentou avanço de 22,8% para R$ 1,7 bilhão, e 23,5% no EBITDA para R$ 1,4 bilhão. Ao fim de junho, a dívida líquida atingiu R$ 5,3 bilhões, ante R$ 2,3 bilhões no fechamento de 2020, dado o maior investimento em novos projetos. No mesmo intervalo, a relação Dívida Líquida/EBITDA passou de 0,9x para 1,9x, razão ainda consideravelmente inferior ao covenant mais restritivo de suas emissões, que é de 3,0x.

Destaques positivos

  • Empresa com baixa alavancagem e boa liquidez.
  • Resiliência do fluxo de caixa.
  • Diversificação de ativos, atrelados a concessões de longo prazo.
  • Setor de transmissão bastante estável.

Pontos de atenção

  • Capex dos projetos em construção.
  • Risco regulatório.

Quem é a ISA CTEEP?

História

A criação da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) se deu em 1999 a partir da divisão dos ativos da estatal Companhia Energética de São Paulo (CESP), como parte do programa de privatização do Governo Estadual.

A CTEEP incorporou a Empresa Paulista de Transmissão de Energia Elétrica (EPTE) em 2002, companhia resultante do desmembramento da Eletropaulo.

Foi privatizada em 2006, por meio de leilão público promovido pelo governo paulista na bolsa de valores. Com isso, o grupo colombiano ISA se tornou o acionista controlador da empresa, ao adquirir 50,1% das ações ordinárias.

Desde então, a empresa manteve sólido crescimento, realizado, principalmente, por meio da aquisição de novos lotes em leilões de transmissão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Atuação

A CTEEP é a maior empresa privada do setor de transmissão no Brasil, segmento responsável pelo transporte da energia gerada até os centros consumidores de carga. Suas 22 concessões atuais configuram cobertura de 20,4 mil km de extensão, das quais 10 encontram-se em operação, compreendendo 18,6 mil km de linhas.

Em setembro de 2021, a ISA CTEEP contava com capacidade instalada de 70,5 mil MVA (Mega Volt Ampére) de transformação, mais de 19 mil km de linhas de transmissão, cerca de 26 mil km de circuitos, 2.438 km de cabos de fibra ótica próprios e 140 subestações (ativos em operação e em construção) com tensões de até 550 kV.

Presença

A companhia está presente em 17 estados brasileiros e transmite cerca de 33% de toda a energia do Brasil, 60% da energia consumida na região Sudeste e 94% da energia do Estado de São Paulo.

Fonte: ISA CTEEP. Elaboração: XP.

Composição acionária

Os números abaixo entre parênteses são referentes à participação de cada acionista no total de ações com capital votante (ordinárias).

ISA Capital do Brasil (89,5%): operação brasileira do grupo colombiano ISA, um dos maiores conglomerados de transmissão de energia elétrica da América Latina. Suas atividades estão concentradas nos setores de transmissão de energia elétrica, telecomunicações e concessões de rodovia.

Eletrobras (9,8%): sociedade de economia mista controlada pelo Governo Federal. É o maior grupo brasileiro de energia elétrica, atuante nas frentes de geração, transmissão e distribuição, sendo responsável por 37% do total da capacidade de geração do país e 57% da extensão de linhas de transmissão.

Outros (0,7%).

A ISA CTEEP é uma companhia de capital aberto com ações negociadas na B3 por meio dos tickers TRPL3 (ação ordinária) ou TRPL4 (ação preferencial).

Principais fatores do crédito

Para melhor entendimento, esclarecemos que a nomenclatura “2T21” significa “segundo trimestre de 2021” e “1S21” significa “primeiro semestre de 2021”. Suas variações também se aplicam (ex: 4T20 seria o quarto trimestre de 2020).

Fonte: ISA CTEEP. Elaboração: XP.

A ISA CTEEP, por estar no segmento de transmissão de energia, apresenta resiliência de sua receita, já que as linhas de transmissão recebem a chamada receita anual permitida (RAP) por disponibilidade, não por volume transportado, o que garante maior previsibilidade.

Receita Anual Permitida (RAP) é a receita anual à qual a concessionária tem direito pela prestação do serviço público de transmissão, a partir da entrada em operação comercial das instalações de transmissão. É reajustada por resoluções homologatórias da Aneel, divulgadas anualmente (normalmente no mês de junho) na Revisão Tarifária Periódica, que estabelece a previsão da RAP para os próximos 12 meses, corrigida pela inflação.

Ademais, o risco de contraparte (ou seja, de recebimento) no setor de transmissão é baixo, já que o risco é o do sistema nacional como um todo, não necessariamente de uma empresa (geradora, por exemplo) específica.

Cenário atual

A ISA CTEEP possui um plano estratégico em curso, chamado “Estratégia 2030”, que prevê o crescimento por meio de investimentos em reforços e melhorias, em novos negócios, incluindo fusões e aquisições, e em projetos de expansão da rede própria de transmissão.

Desde 2016, a empresa arrematou quatorze lotes em leilões de transmissão, que somam investimentos necessários de R$ 6,3 bilhões até a entrada em operação, sendo que a concessão mais longa tem prazo de implementação em dezembro de 2025. O incremento da RAP (ciclo 2020/2021) será de cerca de R$ 645 milhões após a energização dos ativos, com RAP total para o ciclo de R$ 3,8 bilhões.

Em razão disso, a holding ampliou seus volumes de investimentos desde meados de 2020, ano em que registrou avanço de 68,5% no capex.  

Dos quatorze novos projetos, a ISA CTEEP já energizou quatro, com antecipação média de 11 meses. A entrega das novas linhas antes do prazo previsto em contrato é positiva para as operações da empresa porque a RAP pode ser recebida a partir da energização dos projetos, “ampliando” o período de concessão.

A companhia deverá manter o capex elevado em 2021 e 2022 dado o robusto cronograma de obras atual. Porém, com a entrada em operação das novas linhas, é esperado que o volume de investimentos apresente redução. Isto, somado ao início de geração de caixa das linhas operacionais, deve levar a maior conforto de caixa para a companhia.

Além disso, a ISA CTEEP realizou a aquisição da Piratininga – Bandeirantes Transmissora de Energia (PBTE) em março de 2021, que interliga as subestações Piratininga II e Bandeirantes, ambas pertencentes à holding. O empreendimento tem linha de transmissão subterrânea de 30 km na capital paulista e RAP de R$ 172 milhões e foi adquirido por R$ 1,6 bilhão.

Por fim, apenas uma das 22 concessões da CTEEP – 10 operacionais mais 12 em construção – expira antes de 2037, trazendo estabilidade às suas atividades e menor risco aos credores de suas dívidas (a mais longa vence em 2032, cinco anos antes).

Destaques operacionais

A Parcela Variável (PV) consiste no desconto incidente sobre a remuneração mensal das concessionárias de transmissão, devido à indisponibilidade verificada da instalação de transmissão. Sendo assim, há descontos na RAP para qualquer indisponibilidade nos ativos de transmissão da empresa.

Em 2020, a PV aplicada foi de 1,26% da RAP, e no segundo trimestre de 2021, foi de 1,41% da RAP. Tais valores foram em linha com a média histórica da empresa e da Taesa, empresa referência no setor, porém acima da média histórica da Alupar, outra grande companhia de transmissão.

Destaques financeiros

Receita líquida e EBITDA

Em 2020, a ISA CTEEP apresentou receita líquida ajustada de R$ 3,1 bilhões, avanço de 14,1% frente ao apurado em 2019. O crescimento pode ser explicado pela variação positiva da inflação no intervalo (medida pelo IGP-M e pelo IPCA), recebimento da Parcela de Ajuste (PA) da Rede Básica Sistema Existente (RBSE) e da Revisão Tarifária Periódica (RTP) e entrada em operação de projetos de reforços e novos projetos.

A Parcela de Ajuste (PA) da Rede Básica de Sistema Existente (RBSE) se refere à indenização às transmissoras de energia elétrica que renovaram suas concessões de forma antecipada em 2013, de 2023 para 2027. As tarifas incorporam essas indenizações referentes aos investimentos feitos em ativos antigos e ainda não depreciados.

O EBITDA Ajustado totalizou R$ 2,7 bilhões, expansão de 22,7% na mesma janela, resultando em margem de 81,6%. A elevada margem é uma característica comum ao setor de transmissão de energia, dados os baixos custos fixos.

No primeiro semestre de 2021, a receita líquida totalizou R$ 1,7 bilhão, crescimento de 22,8% ante o mesmo período do ano anterior, explicado pelos eventos já mencionados em 2020, além da aquisição da PBTE, já operacional. Enquanto isso, o EBITDA avançou 23,5% para R$ 1,4 bilhão.

Endividamento e alavancagem

Ao fim de junho de 2021, a ISA CTEEP contava com endividamento bruto de R$ 6,8 bilhões, expansão de 51,4% em comparação com o fechamento de 2020.

O aumento foi decorrente das captações da 10ª emissão de debentures, realizada em fevereiro de 2021 no total de R$ 672,5 milhões, e 8ª emissão de notas promissórias comerciais, no montante de R$ 1,2 bilhão em maio de 2021, além do reconhecimento de R$ 375 milhões da dívida de PBTE, após a conclusão da compra do ativo.

Já a dívida líquida cresceu de R$ 2,3 bilhões para R$ 5,3 bilhões no mesmo intervalo, também influenciada pela queda nas disponibilidades como consequência da aquisição da PBTE.

Dado o maior endividamento, a relação Dívida Líquida/EBITDA passou de 0,9x em dezembro de 2020 para 1,9x no 2T21, razão ainda consideravelmente inferior ao covenant mais restritivo de suas emissões, que é de 3,0x.

Apesar das menores disponibilidades, a atual posição de R$ 1,8 bilhão é suficiente para o cumprimento das obrigações financeiras até meados de 2024. Ao fim de junho, o prazo médio da dívida era de 6,9 anos.

Pontos de atenção

Capex dos projetos em construção

Conforme mencionado anteriormente, o atual plano de expansão da ISA CTEEP, denominado “Estratégia 2030”, ampliará consideravelmente a malha de transmissão e requer elevado volume de investimentos.

Para a estratégia de negócios ser implementada com sucesso, um dos principais fatores críticos é o crescimento com disciplina financeira e eficiência operacional, com expansão das linhas em termos e condições rentáveis. Sendo assim, o capex dos projetos em construção deverá ser monitorado com atenção.

Caso a companhia não seja bem-sucedida na execução dos projetos, por custos mais elevados se comparado ao planejado, seus retornos esperados serão impactados.

Contudo, a CTEEP historicamente comprovou sólida execução e entrega no prazo (ou até antes) das novas concessões, o que torna o risco baixo, em nossa visão.

Risco regulatório

fiscalização, mediação e definição de tarifas, para garantir o equilíbrio do mercado. Logo, alterações nas legislações e portarias já existentes, podem impactar o fluxo de caixa das companhias elétricas.

Como exemplo, é possível citar as atuais discussões de reforma tributária ou da reforma do setor elétrico (Projeto de Lei do Senado nº 232/2016).

Fonte

ISA CTEEP

Veja mais

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.