CRA Vicunha – DEZ/2021

CRA Vicunha – DEZ/2021

  • Vencimento 28/12/2021
  • Rentab. -
  • Liquidez -
  • Juros -
  • Rating -
  • Risco (0 - 100) 42 Risco Alto

    A nova pontuação de risco leva em consideração critérios de risco, mercado e liquidez. Para saber mais, clique aqui.

  • Preço Unitário R$ 1.000,00

Análise do Emissor

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A Vicunha Têxtil produz e comercializa jeans, brim, tecidos mistos e tecnológicos, malhas sintéticas e naturais, fibras e filamentos, sendo a maior produtora de denim na América Latina e uma das três maiores do mundo. A empresa iniciou o exercício de 2020 com expectativas positivas para os negócios, dadas as estimativas construtivas para a economia nacional e global. Apesar dos dois primeiros meses melhores que o esperado, as atividades industriais e logísticas foram interrompidas durante praticamente todo o 2T20, em decorrência da pandemia da covid-19, e a companhia enfrentou dificuldades para faturar seus clientes. Como consequência, a Vicunha apresentou em 2020 faturamento líquido 10,8% inferior ao apurado em 2019. Além disso, a empresa gerou R$ 6 milhões de EBITDA no exercício, contração significativa frente aos R$ 212 milhões do ano anterior. O endividamento líquido totalizou R$ 982 milhões em dezembro, avanço de 6,27% em relação à posição de R$ 924 milhões do fim de 2019. Já a relação dívida líquida/EBITDA no ano foi superior a 160x, ante 4,2x no ano passado e covenant de 4,0x.

Destaques positivos

  • Maior produtor de brim e jeans da América Latina.
  • Empresa mais verticalizada em relação a outros players.
  • Custos competitivos de produção.
  • Diversificação geográfica da produção e vendas.
  • Controlador forte (família Steinbruch).

Pontos de atenção

  • Setor exposto às condições econômicas em cenário competitivo mais desafiador
  • Dívida: elevada alavancagem e vencimentos concentrados no curto prazo
  • Contexto atual de covid-19 aumenta os desafios de capital de giro.

Quem é a Vicunha?

Histórico

A fundação da Vicunha Têxtil remete ao ano de 1966, quando as famílias Steinbruch e Rabinovich montaram a Cia. Têxtil Braspel. Um ano depois, foi incorporado o Lanifício Varan, maior empresa do setor na época, a qual possuía uma linha de cashmere nomeada de Vicunha, que posteriormente tornou-se o nome do conglomerado.

Nos anos 70, o grupo fundou a Fiação Nordeste do Brasil (Finobrasa), em parceria com os grupos Otoch e Baquit, o que permitiu um aumento significativo de sua capacidade produtiva, e, por consequência, a ampliação da participação no mercado interno.

Em 1982, a Vicunha adquiriu a Fibra, uma das principais indústrias têxteis do país até então. Posteriormente, cria as subsidiárias Vicunha Nordeste e Elizabeth Nordeste, visando ampliar sua atuação na região.

Nos anos 90, a presença internacional da Vicunha foi intensificada, por meio da fundação da Brastex em Buenos Aires, a Vicunha United States nos Estados Unidos, e do início da joint venture entre a Fibra e a DupOnt para a produção de nylon.

Em 2001, ocorreu a incorporação de todas as empresas controladas do conglomerado, transformando a área têxtil do Grupo Vicunha na companhia Vicunha Têxtil S.A.

Em 2018, o grupo emitiu Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) no montante de R$ 240 milhões, com pagamento de juros semestrais e vencimento para dezembro de 2021.

Ricardo Steinbruch, que ocupou a presidência da Vicunha Têxtil por mais de 40 anos, passou o bastão a José Maurício D’Isep em fevereiro de 2019, até então diretor financeiro da empresa. D’Isep deixou o posto em janeiro de 2021.

Atuação

A Vicunha Têxtil produz e comercializa jeans, brim, tecidos mistos e tecnológicos, malhas sintéticas e naturais, fibras e filamentos.

A empresa é a maior produtora de denim na América Latina e uma das três maiores do mundo, com produção de mais de 180 milhões de metros de tecido denim e denim color.

Presença

Conta com plantas fabris nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e São Paulo, além do Equador e Argentina. Seus centros de distribuição são localizados em São Paulo, Argentina, Peru, Equador, Colômbia e Sri Lanka.

A Vicunha também possui escritórios comerciais na Argentina, Peru, Equador, Colômbia, México, Madrid, Holanda, Suíça e Bangladesh, com o centro administrativo na capital paulista.

Presença

A companhia é uma das principais empresas do Grupo Vicunha, da família Steinbruch, assim como o Banco Fibra e a Vicunha Steel, holding controladora da CSN.

Principais fatores do crédito

Fonte: XP Investimentos, Vicunha Têxtil.

Cenário atual

A Vicunha iniciou o exercício de 2020 com expectativas positivas para os negócios, dada as estimativas construtivas para a economia nacional e global. Apesar dos dois primeiros meses melhores que o esperado, o cenário foi alterado com a declaração da pandemia de covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em decorrência dos aumentos dos casos de contágio e da adoção de medidas de distanciamento social por parte do governo, as atividades industriais e logísticas foram interrompidas durante praticamente todo o 2T20 e a companhia enfrentou dificuldades para faturar seus clientes.

Por conta do fechamento da indústria, houve redução de estoque, o que limitou a capacidade de vendas da Vicunha durante a reabertura da economia.

Destaques financeiros

Rentabilidade e EBITDA

A Vicunha apresentou faturamento líquido de R$ 1,5 bilhão em 2020, retração de 10,8% em comparação com o acumulado em 2019. Além disso, a empresa gerou R$ 6 milhões de EBITDA no exercício, contração significativa ante os R$ 212 milhões do ano anterior.

No entanto, com a flexibilização das medidas de distanciamento social e recuperação do mercado de varejo mais rápido do que o inicialmente esperado, a Vicunha conseguiu recuperar sua lucratividade em patamar superior ao dos níveis pré-pandemia: apesar da margem EBITDA de -169% no segundo trimestre de 2020, a empresa registrou índices de 18% e 15%, no 3T20 e 4T20, respectivamente. No ano, a margem EBITDA foi de 0,4% ante margem de 13% em 2019.

Endividamento e alavancagem

O endividamento líquido totalizou R$ 982 milhões no ano de 2020, avanço de 6,27% em relação à posição de R$ 924 milhões do fim de 2019. O efeito é decorrente do aumento dos empréstimos junto ao FNE (Banco do Nordeste do Brasil) e das linhas de trade finance em moeda estrangeira, parcialmente compensado pelo pagamento das amortizações do CRA e maior saldo em caixa.

A alavancagem, medida pela dívida líquida/EBITDA foi superior a 160x, ante 4,2x em 2019 e covenant de 4,0x. O covenant é mensurado semestralmente e a empresa encontra-se em processo de obtenção de waivers (perdão) pelo descumprimento dessas cláusulas contratuais.

Para os próximos semestres, o teto de alavancagem previsto nos documentos do CRA é de 3,5x. Portanto, o desempenho da empresa deverá ser monitorado.

Além disso, aponta-se que a empresa possui R$ 865,2 milhões em empréstimos a vencer nos próximos 12 meses (ante saldo em caixa de R$ 259,6 milhões), o que implica em risco de refinanciamento ou reperfilamento da dívida.

O risco é parcialmente mitigado pelo sólido perfil financeiro dos controladores e fácil acesso da empresa ao mercado de capitais.

Pontos de atenção

Setor exposto às condições econômicas em cenário competitivo mais desafiador

O desempenho do setor de varejo e, principalmente, do segmento de consumo discricionário (eletrodomésticos, vestuário e alimentação) possui uma forte relação com o crescimento econômico. Isso ocorre porque com a melhora da economia, as boas perspectivas levam as pessoas a consumirem mais e vice-versa.

O atual contexto econômico é desfavorável para as operações da Vicunha porque resulta na postergação do consumo por parte das famílias e depende da recuperação do mercado de trabalho, que tende a ser lenta diante da economia atual.

Ademais, também se aponta o cenário mais desafiador para o setor de varejo no Brasil, devido ao crescimento das exportações chinesas e indianas, que conseguem entregar preços mais competitivos.

Dívida: elevada alavancagem e vencimentos concentrados no curto prazo

Conforme mencionado anteriormente, as disponibilidades da Vicunha apuradas em dezembro de 2020 são insuficientes para fazer frente aos vencimentos de dívida de 2021. Portanto, há o risco de precisar recorrer a refinanciamento ou reperfilamento de suas dívidas, em um contexto de aversão a risco pelo mercado, principalmente em relação ao setor de varejo.

Além disso, sua alavancagem durante o último exercício foi extremamente elevada e 57% do seu endividamento em dezembro de 2020 encontrava-se indexado a moedas estrangeiras, o que aumenta o perfil de risco da empresa.

O risco é parcialmente mitigado pelo sólido perfil financeiro dos controladores e fácil acesso da empresa ao mercado de capitais, porém continuaremos monitorando as informações que venham a público a respeito de potenciais negociações que possam ocorrer nos próximos meses.

Contexto atual de covid-19 aumenta os desafios de capital de giro

O atual cenário de pandemia do covid-19 requer que as companhias façam uma boa gestão do capital de giro, uma vez que toda a cadeia é afetada: de fornecedores a clientes.

Com a queda nas vendas, haveria necessidade de reforço de caixa para passar pelo período mais difícil da crise. Uma forma de fazê-lo é postergar pagamentos a fornecedores, porém negociações em um contexto de crise econômica generalizada são difíceis.

Na ponta oposta, clientes pedem mais prazo para pagamento de suas contas a pagar. Isso também afeta diretamente o capital de giro das companhias.

Veja também

Fonte

Vicunha

Valor Econômico

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.