XP Expert

Zeina Latif: Reflexões de Julho

No dia 4 de julho, os Estados Unidos celebram o aniversário da declaração da sua independência, ocorrida em 1776, fruto de um longo processo e de muitas batalhas de 13 colônias contra os ingleses. O estopim foi o aumento de impostos da coroa para cobrir os gastos da Guerra dos Sete Anos contra a França.  […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

No dia 4 de julho, os Estados Unidos celebram o aniversário da declaração da sua independência, ocorrida em 1776, fruto de um longo processo e de muitas batalhas de 13 colônias contra os ingleses. O estopim foi o aumento de impostos da coroa para cobrir os gastos da Guerra dos Sete Anos contra a França. 

Além disso, a colônia revoltou-se contra o monopólio da Companhia das Índias Orientais, imposto pelos ingleses, que elevara preços e prejudicara a produção local de chá. 

Após anos de guerra, a Inglaterra reconheceu a independência americana em 1783. Ela, porém, não resultou nos Estados Unidos. Foram necessários alguns anos para que as colônias reconhecessem a necessidade de um Poder Executivo federal e concordassem sobre uma Constituição e a Carta dos Direitos.

A mobilização americana foi marcada por ampla participação da sociedade, inclusive das mulheres. Uma sociedade que muito antes da independência valorizava a educação. Nove universidades foram fundadas no período colonial – a mais antiga é Harvard – com doações privadas. 

A comemoração de 4 de julho apenas perde em importância para o Dia de Ação de Graças. Os peregrinos do Mayflower desembarcaram em 1620 no atual Estado de Massachusetts e foram acolhidos pelos índios da região, que os ajudaram a sobreviver ao primeiro e rigoroso inverno e os ensinaram a plantar milho. A primeira colheita resultou em uma celebração de peregrinos e seus salvadores.

Nossa independência, pouco celebrada, foi bem diferente.

A derrota de Napoleão na Europa gerou anseios para o retorno de d. João a Portugal, mas com menos poderes. No Brasil, as posições variavam conforme a capitania e a atividade do grupo social. D. João – sem surpresa – ficara indeciso. Em 1821, partiu deprimido, carregando consigo os recursos dos cofres do Banco do Brasil e do Tesouro.

D. Pedro ficou, mas sofria a pressão das Cortes em Portugal, que cancelaram atos de d. João dando autonomia administrativa ao Brasil, enquanto exigiam a sua volta. O inimigo em comum possibilitou que a liderança de José Bonifácio de Andrada e Silva – um herói indevidamente pouco lembrado – amalgamasse o apoio à ruptura com Portugal.

O dia da declaração de independência não foi dos mais felizes. A carta de Andrada enviada por mensageiros pedindo uma rápida decisão encontrou o príncipe abatido por uma indisposição digestiva durante a viagem de volta de São Paulo. Em 22 de setembro, uma carta ao pai comunicava a emancipação. Portugal acatou, sem guerras. 

A independência foi singular, pois levou a uma monarquia, e não a uma república. Andrada temia que mudanças radicais ameaçassem a unidade territorial do Brasil, como ocorreu na América espanhola. Optou-se pela agenda possível. 

A adesão das províncias ao projeto não foi simples e tampouco imediata, pelos seus diferentes interesses. Nas palavras de Lilia Schwarcz e Heloisa Staling, “a independência criou um Estado, mas não uma Nação”, com instituições e cidadania frouxas.

Nosso passado não é pouco celebrado sem razão. O que não significa inviabilidade de resgate. Alguns vizinhos na América Latina, com passado similar, têm conseguido, nas últimas décadas, fortalecer as instituições democráticas ao mesmo tempo que mantêm uma trajetória de crescimento sustentável.

Os tempos por aqui andam esquisitos, é verdade. Extremismos que nos eram desconhecidos brotam em uma parcela da população, como reflexo da grave crise e de escândalos de corrupção, bem como da divisão da sociedade alimentada anos a fio pelo PT.

Mas há aspectos positivos nessa confusão. A sociedade parece em busca de novos valores e crenças, como o fim de velhas práticas oportunistas, em meio ao desejo de um Estado mais justo e eficiente. 

Num país pouco afeito a ídolos e heróis – nem a seleção escapa –, há mais indignação e desilusão do que busca por um salvador da pátria. Não estamos em 1989. A sociedade amadurece. 

Livro usado como referência: Brasil, uma biografia. 

19 de Julho de 2018

Fonte: Artigo replicado do Estadão

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.