x
Guia de Investimentos

Onde Investir – Março de 2020

O relatório de alocação da XP Investimentos é feito mensalmente para ajudar você a formar e atualizar o portfólio de investimentos, levando em conta os cenários político-econômico nacional e internacional. Aqui, investidores de diferentes perfis, seja conservador, moderado ou agressivo, conseguem ver as nossas análises e recomendações de investimentos baseadas no conceito de alocação e diversificação.

Assista ao vídeo sobre onde investir e como investir no cenário atual. Clique no player para assistir.

Principais fatos que influenciaram os investimentos

A nova normal no Brasil: atualizamos nossa estimativa para o Ibovespa em 2020

Ler relatório íntegra
A nova normal no Brasil: atualizamos nossa estimativa para o Ibovespa em 2020

5 anos em 5 minutos

Ler relatório íntegra
5 anos em 5 minutos

Panorama de Mercado XP: Bolsa em março

Ler relatório íntegra
Panorama de Mercado XP: Bolsa em março

Veja nossas carteiras recomendadas

Veja nossas carteiras recomendadas

Veja nossa série de reportagens sobre o Corona Vírus

É impossível escapar do curto prazo, mas leia sobre nossa visão de longo prazo, que norteia a construção de nossos portfólios.

O mês de Fevereiro foi marcado por um grande aumento da aversão a risco nos mercados globais. Enquanto em Janeiro já havia claros sinais de preocupação com relação ao surto de Coronavírus na China, essa preocupação se elevou fortemente em Fevereiro, à medida que o surto se espalhou por vários países. A mudança de percepção brusca em relação ao surto se alterou a partir de premissas que não se materializaram: (1) A premissa de que o surto ficaria contido principalmente na China, (2) A premissa que o pico dos casos seria atingido no meio de Fevereiro, e passariam a diminuir a partir de Março e (3) A expectativa de uma recuperação forte das economias a partir de Março, por conta dos estímulos dos governos (também conhecida como “V-Shaped Recovery”).

Guia de investimentos

Fevereiro foi um mês difícil para ativos de renda variável em geral, com os mercados passando a precificar risco relevante de uma recessão global devido às medidas de contenção do Coronavírus.

A mudança de percepção brusca em relação ao surto se alterou a partir de premissas que não se materializaram: (1) A premissa de que o surto ficaria contido principalmente na China, (2) A premissa que o pico dos casos seria atingido no meio de Fevereiro, e passariam a diminuir a partir de Março e (3) A expectativa de uma recuperação forte das economias a partir de Março, por conta dos estímulos dos governos (também conhecida como “V-Shaped Recovery”).

As bolsas ao redor do mundo começaram a cair no dia 20 de fevereiro, com a queda se intensificando durante o carnaval no Brasil. Os ativos Prefixados e atrelados à inflação foram o destaque positivo em fevereiro, funcionando como ativos "anticíclicos", e ajudando a defender as carteiras no mês.

Os ativos de risco já precificam um cenário de desaceleração relevante da economia global, mas as incertezas continuam altas, e ainda devemos passar por um período turbulento nos próximos meses. Optamos por não reduzir a exposição a ações das carteiras recomendadas, mas achamos que ainda é cedo para adicionar risco aos portfólios.


Última atualização: 2 de março de 2020