Resumo Diário de Política 08/07/2019

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

access_time 08/07/2019 - 08:45
format_align_left 4 minutos e 12 segundos de leitura

Como adiantamos, Rodrigo Maia disse que pretende levar a reforma da Previdência a plenário na terça-feira, dia 9 (http://bit.ly/2LEkeyR). Ele preferiu não se arriscar em um número de votos, apesar de ter falado antes que a PEC teria mais de 325 votos (https://glo.bo/2LEkyO5). Segundo Onyx Lorenzoni, já há mais de 330 votos (https://glo.bo/2LEkKgh). O prazo de votar a proposta toda em plenário nesta semana ainda é otimista, dado que há pontos do texto ainda em negociação e algumas pendências do governo com sua “base provisória” de apoio. A iniciativa por parte de Maia e seus aliados, porém, será forte para que o texto avance o máximo possível nesta semana.

O placar do Estadão registrou nesta semana seu maior apoio à reforma da Previdência desde que o assunto começou a ser discutido no governo Temer. O monitoramento informa 247 deputados favoráveis à proposta, sendo 229 já a favor do texto vindo da comissão especial (http://bit.ly/2LF5YWw).

O título da seleção brasileira na Copa América rendeu, além de comemoração dos torcedores, repercussões na política. Jair Bolsonaro foi ao estádio acompanhado de Sergio Moro e aproveitou para comemorar junto com jogadores. Foi recepcionado com grito de “mito” por parte de alguns integrantes da comissão (http://bit.ly/2LElhyN). A recepção no estádio, porém, não foi tão amigável. A percepção sob o misto de vaias e aplausos varia a partir da localização da pessoa no estádio, mas O Globo notícia que as vaias foram predominantes (https://glo.bo/2LElxhf).

Moro foi alvo de mais uma reportagem da #VazaJato. Desta vez, a imprensa noticiou que a Lava Jato vazou informações sigilosas da Venezuela sob a ordem do ex-juiz para prejudicar Nicolás Maduro (http://bit.ly/2LHr8n8). Além disso, segundo o Datafolha, diante do caso #VazaJato, 58% dos brasileiros reprovam a atitude de Moro, ante 31% que aprovam. A popularidade dele também teve uma queda de três meses para cá: de 59% para 52% (http://bit.ly/2LH9GPC). Nossa pesquisa da XP em parceria com o Ipespe, feita com periodicidade maior, mostra que para 48% dos entrevistados houve excessos por parte da Lava Jato, apesar de uma parte desses (13%) achar que o resultado valeu a pena (https://glo.bo/2LFSyJP).

O Datafolha divulgou hoje mais trechos da sua nova pesquisa, que aponta para uma estabilização da popularidade de Bolsonaro (http://bit.ly/2JlAbbq) o mesmo identificado pela nossa pesquisa divulgada no fim de semana (https://glo.bo/2Xzek9p).

Curtas: O músico João Gilberto morreu aos 88 anos no sábado (https://glo.bo/2LK1rSH); entrevista do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ao Estadão (http://bit.ly/2LK122D); entrevista de Sergio Moro ao Correio Braziliense (http://bit.ly/2LF5Oyo); mais uma brasileira foi encontrada morta no Chile (https://glo.bo/2LIhRLw); após críticas ao texto da reforma da Previdência feito pelo Congresso, Paulo Guedes diz que Brasil terá “melhor dos mundos” se PEC for aprovada (http://bit.ly/2LHwgaC).

A agenda de 8 a 14 de julho

O principal assunto da semana será a expectativa de votação da reforma da Previdência na Câmara, como já dissecamos acima. Toda articulação de líderes e de Rodrigo Maia, combinados com o governo, envolverá a principal reforma do governo.

Partido da oposição, mas com potencial de votos favoráveis à reforma da Previdência, o PSB reúne seu diretório nacional em Brasília nesta segunda (8) para decidir sua posição sobre a PEC (http://bit.ly/2LIcHiu). A priori, os socialistas haviam fechado questão contra o texto do governo Bolsonaro (http://bit.ly/2LIi6WW). Com as mudanças feitas por Samuel Moreira, porém, há uma onda para que não seja imposta punição a quem votar a favor do texto (até mesmo porque há governadores do PSB que gostariam que a PEC fosse aprovada).

Também nesta semana, a Câmara instala a comissão especial da reforma tributária (https://glo.bo/2LIEBuz). O colegiado analisará a PEC apresentada pelo líder do MDB, Baleia Rossi, baseada em proposta do economista Bernard Appy. Segundo Rodrigo Maia, “quando o governo enviar uma proposta sobre o tema, ela será apensada e tramitará em conjunto”.

  • Hoje é o 189º dia do governo Jair Bolsonaro.
  • Faz 138 dias que Jair Bolsonaro entregou projeto da previdência à Câmara.
  • Placar Valor/Atlas – Favor (133); Apoio parcial (119); Indefinidos (118); Contra (143).
  • Placar Estadão – Favor (229); Apoio parcial (15); Indefinidos (167); Ausente/não vota (2); Contra (100).

XP Política

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins da Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.