Mercados internacionais com realização e queda nesta sexta-feira. No Brasil atenção voltada para o novo auxílio emergencial

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA 0,70% | 119.300 Pontos

CÂMBIO 0,01% | 5,39/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa subiu 0,70% nesta quinta-feira e atingiu os 119.300 pontos após três sessões seguidas de queda. O desempenho da bolsa brasileira recuou no final da tarde pesando a declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre a extensão do auxílio emergencial e impactando o comprometimento com o regime fiscal do país. Com isso, o dólar comercial subiu 0,01% e está cotado agora aos R$/US$ 5,39.

As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem com viés de alta, tendo como principal motor a percepção de risco fiscal e a espera pela definição em torno do auxílio emergencial. DI jan/22 fechou em 3,32%; DI jan/24 encerrou em 5,85%; DI jan/26 foi para 6,95%; e DI jan/28 fechou em 7,34%.

No cenário internacional, uma comissão da Câmara do Representantes dos EUA aprovou US$ 593,5 bilhões em benefícios à população. Uma grande parte do valor é formado pelos cheques de US$ 1.400 do pacote de estímulo. 

E o presidente dos EUA, Joe Biden, já começa a olhar para um segundo pacote de recuperação econômica. O democrata fez apelo ao Congresso por um pacote de infraestrutura, ainda não apresentado, alertando que o país sofria o risco de ficar para atrás em relação a China, que fez avanços relevantes em transporte.

Na Itália, o ex-presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, conseguiu apoio do Movimento 5 Estrelas, a maior bancada da Câmara do país. Com isso, assegurou amplo apoio para formar governo. 

Na política, o auxílio emergencial domina o debate depois de cobranças mais explícitas do comando do Congresso ao presidente Jair Bolsonaro. A urgência determinada pelo presidente atrapalha os planos do Ministério da Economia de incluir medidas de austeridade fiscal como contrapartida. Isso porque essas medidas tomam mais tempo de debate e enfrentam resistência do Congresso.

Em economia, as atenções também seguem voltadas para a nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial. De acordo com o Estadão, devem ser concedidas mais quatro parcelas de R$ 250 a 19 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família e mais 11 milhões de informais. O benefício seria concedido entre março e junho e teria custo total de cerca de R$ 30 bilhões. As contrapartidas fiscais viriam através de duas PEC’s: 1) uma nova PEC de guerra na primeira semana de março, que teria uma cláusula de calamidade pública e 2) uma segunda PEC ao fim da rodada de auxílio, com medidas mais duras de cortes de despesas que assegurem a manutenção do teto de gastos até 2026. Ainda do lado fiscal, enquanto o orçamento deste ano ainda não é aprovado no Congresso, o governo publicou ontem um decreto para fazer um controle preventivo dos gastos e restringir a liberação de recursos não prioritários a cerca de dois terços no previsto no orçamento para cada mês. E o presidente Jair Bolsonaro, em sua live semanal, afirmou que pretende fechar uma proposta que permita a redução do PIS/Confins sobre combustíveis.

Do lado de dados econômicos, o setor de serviços contraiu 0,2% em dezembro, em linha com o esperado. No ano, o setor contraiu 7,9%. Os serviços prestados às famílias (que incluem restaurantes e bares) foram os mais afetados, uma vez que muitos estabelecimentos tiveram que permanecer fechados durante grande parte do ano.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Usiminas (USIM5): antes da abertura
Temporada de Resultados do 4° Trimestre – O que esperar?
Calendário do 4T20

Clique aqui para saber mais

Internacional

  1. Política internacional: Pacote de estímulo anda nos EUA em paralelo ao impeachment

Empresas

  1. Banco do Brasil (BBAS3): Provisões operacionais novamente? | Revisão do 4T20
  2. Engie Brasil (EGIE3): Resultados do 4T20 acima das nossas estimativas
  3. CESP (CESP6): Resultados do 4T20 mistos, mas com anúncio de dividendos, implicando 7% de dividend yield
  4. Sanepar (SAPR11): Resultado do 4T20 abaixo; Mantemos Neutro
  5. Lojas Renner (LREN3): Resultado do 4T20 sólido, apesar do momento desafiador
  6. Multiplan (MULT3) – 4T20 Resultado: Recuperação a todo vapor
  7. Papel & Celulose: Alta no preço da celulose de fibra curta na China


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Pacote de estímulo anda nos EUA em paralelo ao impeachment

  • Com impeachment andando no Senado americano, uma comissão da Câmara aprovou USD 593,5 bilhões em benefícios à população. Uma grande parte do valor é formado pelos cheques de USD 1.400 do pacote de estímulo;
  • E o presidente dos EUA, Joe Biden, já começa a olhar para um segundo pacote de recuperação econômica. O democrata fez apelo ao Congresso por um pacote de infraestrutura, ainda não apresentado, alertando que o país sofria o risco de ficar para atrás em relação a China, que fez avanços relevantes em transporte;
  • No julgamento contra Donald Trump, os advogados do ex-presidente devem apresentar argumentos de defesa nesta sexta-feira (12). O processo pode ser finalizado em poucos dias e o placar continua favorável para o republicano;
  • Na Itália, o ex-presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, conseguiu apoio do Movimento 5 Estrelas, a maior bancada da Câmara do país. Com isso, assegurou amplo apoio para formar governo.  

Empresas

Banco do Brasil (BBAS3): Provisões operacionais novamente? | Revisão do 4T20

  • O Banco do Brasil apresentou resultado regular no 4T20, com ganhos em linha com nossas expectativas de R$ 3,7 bilhões (vs. R $ 3,6 bilhões da XP e R$ 3,5 bilhões das 6 estimativas do Bloomberg), implicando em um pequeno ROE de 12%;
  • O resultado foi ajudado pelos impostos, que vieram positivos devido à maior distribuição de juros sob capital próprio no trimestre, mas compensados por maiores provisões operacionais, um problema antigo que pensávamos que estaria resolvido;
  • No geral, acreditamos que o resultado era esperado e não deve atrair reações fortes por parte dos participantes do mercado;
  • Mais informações relacionadas ao Guidance e à nossa tese no relatório clicando aqui.

Engie Brasil (EGIE3): Resultados do 4T20 acima das nossas estimativas

  • A Engie Brasil reportou um Lucro Líquido de R$ 1.029,7 milhões, muito acima da nossa estimativa de R$ 426,7 milhões.  A diferença pode ser explicada por um efeitos não recorrentes positivos (mas sem efeito caixa) de R$ 868,9 milhões, resultado de: (i) ganho de R$ 967,7 milhões relativo à recuperação de custos de energia em decorrência da repactuação do risco hidrológico, como previsto na Lei 14.052/2020; e (ii) efeito negativo de R$ (98,8) milhões oriundo de impairment (baixa de ativos);
  • O EBITDA Ajustado (Pro-forma para a participação da Engie na operadora de gasodutos TAG) do 4T20 de R$ 1.474,9 milhões veio acima (+9,1%) da nossa estimativa de R$ 1.351,5 milhões. O resultado refletiu uma maior margem de contribuição em comparação com nossas estimativas (R$ 1.698,4 mi vs. R$1.440,8 mi), o que consideramos uma performance positiva tendo em vista as condições hidrológiv[cas deterioradas no trimestre;
  • Adicionalmente, o Conselho de Administração da companhia aprovou a proposta de dividendos complementaresao exercício de 2020, no montante de R$ 609,6 milhões ou R$ 0,7471 por ação (Dividend Yield de 1,63%). Com isso, a companhia atingiu um payout equivalente a 100% do lucro líquido distribuível (desconsiderando a repactuação do risco hidrológico) em 2020, o que reforça a nossa visão de que a Engie é uma das nossas preferidas como pagadora de dividendos. Atualmente EGIE3 pertence à nossa carteira recomendada Top Dividendos XP. Estimamos um dividend yield de 8,3% em 2021-22 para as ações;
  • Temos uma avaliação positiva dos resultados da Engie no 4T20, uma vez que o EBITDA Ajustado do período veio das nossas estimativas. Mantemos nossa recomendação Neutra na Engie Brasil, com um preço-alvo de R$ 44/ação. 

CESP (CESP6): Resultados do 4T20 mistos, mas com anúncio de dividendos, implicando 7% de dividend yield

  • No dia 11 de fevereiro, a CESP divulgou o resultado do 4T20. A empresa reportou Lucro Líquido de R$1.6 bilhão, significativamente acima da nossa expectativa de R$104,2 milhões e o consenso da Bloomberg de R$114,6milhões.
  • O EBITDA ajustado ficou em R$154,3milhões, -21% abaixo da nossa estimativa de R$196,4 milhões e -23% abaixo do consenso da Bloomberg de R$202,0 milhões. O desempenho refletiu principalmente as condições hidrológicas mais adversas do trimestre, que implicam no rebaixamento da garantia física das usinas hidrelétricas da companhia e maiores custos com compra de energia em momentos de preços elevados no mercado de curto prazo;
  • Por outro lado, o maior lucro do que o esperado refletiu o reconhecimento de R$1,6 bilhão como ativo fiscal relacionado a prejuízos fiscais acumulados de períodos passados;
  • A Cesp também aprovou uma distribuição de dividendos no montante de R$ 700 mihões, ou 2,1698/ação para CESP6, o que significa um dividend yield de 7,14%. As ações serão negociadas ex-dividendos a partir de 05 de abril de 2021 e o pagamento do provento será dividido entre 15 de abril e 15 de setembro de 2021. Com isso, a companhia atingiu uma distribuição de 49% sobre o lucro líquido de 2020 o que reforça a nossa visão de que a CESP é uma das nossas preferidas como pagadora de dividendos. Atualmente CESP6 pertence à nossa carteira recomendada Top Dividendos XP. Estimamos um dividend yield de 6,0% em 2021-22 para as ações;
  • Temos uma visão mista dos resultados da CESP no 4T20. Por um lado, vemos como negativo os números do EBITDA, reflexo de condições hidrológicas mais adversas. Por outro, destacamos como positivos tanto (i) o anúncio de dividendos implicando em dividend yield de 7%, como também (ii) um anúncio de redução das contingências passivas de perda possível de R$200 milhões (e R$1,6 bilhão de redução nas contingências totais), que implica em menores impactos de correção monetária sobre os lucros no futuro; 
  • Mantemos recomendação de Compra nas ações da CESP, com preço-alvo de R$36/ação.

Sanepar (SAPR11): Resultado do 4T20 abaixo; Mantemos Neutro

  • Em 11 de fevereiro, a Sanepar divulgou os resultados do 4T20, com um EBITDA ajustado de R$547,0 milhões, -13,1% abaixo da nossa estimativa com nossa estimativa de R$629,3 milhões, refletindo uma combinação dos seguintes fatores: (i) volumes de água e esgoto de 132,6 mi m3 e 99,4 mi m3, implicando quedas na comparação anual de -3,2% e -3,7%, respectivamente, (ii) tarifas abaixo das nossas estimativas devido à postergação do reajuste tarifário anual de 2020 e (iii) custos gerenciáveis (pessoal, materiais, serviços e outros) acima das nossas estimativas;
  • Indo para a linha do lucro, o lucro líquido de R4291,3 milhões veio em linha com nossa estimativa de R$299,3 milhões, dado que o menor resultado operacional foi compensado por menores despesas financeiras líquidas;
  • Temos uma avaliação negativa dos resultados da Sanepar no 4T20, dado que o EBITDA ajustado veio abaixo das nossas estimativas, reflexo principalmente de menores tarifas que o esperado. Na nossa visão, esse desapontamento de resultados frente às nossas expectativas ilustra perfeitamente os impactos negativos do ambiente regulatório precário que a Sanepar se encontra, conforme afirmamos em nosso recente relatório de rebaixamento de recomendação das ações para NEUTRO;
  • Daqui para a frente, acreditamos que a performance das ações da Sanepar deverá refletir (i) desenvolvimentos acerca da 2ª revisão tarifária da companhia e (ii) a atual crise hídrica do estado do Paraná;
  • Mantemos nossa recomendação neutra nas ações da Sanepar (SAPR11) com preço alvo de R$ 24,50/unit.

Lojas Renner (LREN3): Resultado do 4T20 sólido, apesar do momento desafiador

  • Lojas Renner reportou resultados referentes ao quarto trimestre de 2020 (4T20) levemente acima das nossas estimativas, decorrente de uma receita mais forte na operação de varejo e uma rentabilidade melhor na Realize (Serviços Financeiros);
  • Esperamos uma reação neutra/positiva do mercado uma vez que a companhia entregou uma receita estável (+1,6% A/A) na operação de varejo apesar da dinâmica de consumo mais fraca no fim do trimestre enquanto o varejo físico teve crescimento de receita na semana do Natal, mesmo em meio ao aumento de casos de Covid-19 e restrições mais severas;
  • O momento de curto prazo deve seguir difícil, mas vemos o setor de vestuário como um dos principais beneficiários da recuperação econômica e da retomada da normalidade. Mantemos nossa recomendação Neutra e preço alvo de R$53,0 por ação para o fim de 2021. Clique aqui para ler o relatório.

Multiplan (MULT3) – 4T20 Resultado: Recuperação a todo vapor

  • A Multiplan apresentou melhores resultados no quarto trimestre após a flexibilização da capacidade operacional e horário de funcionamento pelas autoridades durante o período. No geral, os resultados do trimestre foram positivos com resultados financeiros próximos às nossas estimativas com receita líquida de R$302 milhões e FFO ajustado de R$209 milhões. Além disso, o resultado operacional também mostrou recuperação com a taxa de ocupação subindo 50 bps e as vendas dos lojistas atingindo o patamar de 83,3% dos valores de 2019;
  • A companhia reportou melhores números operacionais. As vendas dos lojistas caíram 16,7% em relação ao mesmo período de 2019 (vs. -41,6% no terceiro trimestre) e a receita de aluguel dos shoppings caiu apenas 3,0% contra o mesmo período do ano passado (vs. -44,5% no terceiro trimestre). A taxa de ocupação média foi de 95,8% (aumento de 50 bps em relação ao terceiro trimestre) depois que a companhia conseguiu locar quase 15 mil m² e apresentou um turnover de 1,9%, impulsionado pelo movimento de flight-to-quality;
  • A receita líquida atingiu R$302 milhões (-18% ano contra ano), em linha com nossas estimativas. O ebitda foi de R$149 milhões (-41% ano contra ano), abaixo das nossas estimativas devido às despesas gerais e administrativas acima do esperado, mas foi parcialmente compensado pelo benefício fiscal do pagamento de JCP durante o trimestre. No balanço patrimonial, a companhia encerrou o ano com dívida líquida de R$2.143 milhões, o que levou sua dívida líquida/ebitda de 1,6x, que vemos como baixo;
  • O quarto trimestre reiterou a tendência de recuperação após a flexibilização da capacidade operacional e do horário de funcionamento dos shopping centers. Apesar da recente volatilidade do papel, esperamos que os resultados continuem melhorando conforme as operações dos shoppings voltem à normalidade. Mantemos nossa recomendação de compra e preço alvo de R$25,0/ação. Confira nosso relatório completo.

Papel & Celulose: Alta no preço da celulose de fibra curta na China

  • Os preços da celulose de fibra curta tiveram mais uma leve alta na semana (+US$6,9/t), para US$600,41/t. Esperamos que uma recuperação da demanda na China sustente preços em níveis mais elevados.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.