Os desafios da Ambev em tempos de coronavírus

Confira abaixo nossa visão para o resultado da Ambev do 1T20, além das iniciativas da empresa para combater a crise do coronavírus, incluindo as lives com artistas famosos.


Compartilhar:


Começou nesta semana a temporada de divulgação de resultados das empresas referentes ao primeiro trimestre de 2020 (1T20). A Ambev reportará no dia 7 de Maio, antes da abertura do mercado. Esperamos um resultado fraco devido (i) aos impactos do coronavírus a partir da segunda quinzena de março; (ii) à pressão de custos, já antecipada pela empresa no final de 2019; (iii) ao ambiente de competição acirrada, principalmente por parte da Heineken. Tais fatores devem se traduzir, nas nossas estimativas, em um EBITDA de R$ 4 bilhões no 1T20, com uma margem de 33,8%, representando uma queda de 22% em relação ao EBITDA do 1T19, e uma perda de 670 pontos-base de margem.

Cerveja Brasil: volumes em queda e concorrência acirrada

No 1T20, para Cerveja Brasil, estimamos queda de volume de 8,5% na comparação anual, e um EBITDA de R$ 1,8 bilhão, 28% inferior A/A, com margem de 33,3%. Vale lembrar que, no final de fevereiro, a Ambev havia projetado uma queda de 17-20% A/A no EBITDA do segmento de Cerveja Brasil para o trimestre, mas tal projeção foi retirada pela empresa no final de março. Entendemos que a queda no EBITDA deve ser ainda maior do que o anteriormente projetado por dois motivos: (i) 55% das vendas do segmento de cerveja Brasil são realizadas para bares e restaurantes, fechados devido à quarentena do coronavírus; (ii) o 1T19 foi um trimestre excepcionalmente forte por conta de fatores exógenos como um Carnaval mais tarde e um clima mais quente e menos chuvoso, o que favorece as vendas de cerveja e dificulta a comparação com o 1T20, cujo Carnaval aconteceu em Fevereiro e o clima foi mais ameno.

Esperamos um ambiente ainda mais desafiador para a Ambev no curto prazo. No primeiro trimestre, os efeitos do coronavírus só foram sentidos efetivamente durante uma quinzena; ao longo do segundo trimestre, a potencial desaceleração da demanda deve afetar o resultado de maneira ainda mais intensa, que concomitantemente aos preços mais promocionais ao longo do ano e custos mais altos, devem manter as margens pressionadas. Adicionalmente, o ambiente competitivo segue acirrado: no 1T20, o volume total de cerveja da Heineken no Brasil caiu um dígito intermediário, ou cerca de 5%.  Seu portfólio de marcas premium e mainstream, no entanto,  cresceu duplos dígitos, ou seja, pelo menos 10%, com destaque para a marca Heineken, que cresceu mais de 50% no país no trimestre. 

Bebidas não alcóolicas: segmento mais resiliente, com quedas de volume menores

No 1T20, para bebidas não alcóolicas (NAB), estimamos queda de volume de 2% na comparação anual, e um EBITDA de R$ 348 milhões, 4% inferior A/A, com margem de 32,5%. As quedas são menores do que as do segmento de Cerveja Brasil por dois motivos: (i) a demanda por bebidas não alcóolicas é historicamente mais resiliente em momentos de crise; (ii) o canal de bares e restaurantes é menos relevante para o segmento, representando cerca de 35% das vendas (versus 55% para cerveja Brasil). Ainda assim, esperamos uma ligeira queda em volumes e em preços, que também devem ser promocionais.

América Latina: aumento de volumes impulsionado por Argentina e Paraguai

No 1T20, para América Latina (LAS), estimamos aumento de 3% em volume na comparação anual, uma vez que o 1T19 foi bastante desafiador para o segmento, então a base de comparação é relativamente mais fraca, mesmo diante da crise do coronavírus. Adicionalmente, mais da metade do resultado do segmento vem da Argentina e do Paraguai, onde predomina o canal de supermercados e pequenas mercearias, que seguem abertas durante a quarentena, evitando maiores quedas de volume. Por outro lado, cerca de 25% do resultado do segmento vem da Bolívia, onde predomina o canal de bares e restaurantes, sendo que o país está enfrentando uma quarentena extremamente severa. Estimamos um EBITDA de R$ 844 milhões para o segmento, 34% inferior na comparação anual, e margem de 40%.

América Central: quarentenas severas na República Dominicana e no Panamá impactam resultado

No 1T20, para América Central (CAC), estimamos queda de volume de 8,5% na comparação anual, uma vez que os dois principais países do segmento estão passando por medidas de isolamento social bastante severas. Na República Dominicana, um severo toque de recolher foi imposto pelo governo federal; cerca de 40 mil pessoas já foram presas desde o início da quarentena no país por desobedecer ao “toque de recolher” às 17 horas. No Panamá, foi imposta um tipo de Lei Seca, em que a produção, assim como a venda de bebidas alcóolicas foram suspensas pelo governo; trata-se do país com o segundo cenário mais desafiador para a Ambev, atrás apenas da Bolívia. Estimamos um EBITDA de R$ 584 milhões para o segmento, em linha com o do ano anterior, e margem de 37,6%.

Canadá: aumento de volumes e preços disciplinados em um mercado mais resiliente

No 1T20, para o Canadá, estimamos aumento de 2% em volume na comparação anual, uma vez que se trata de um mercado mais resiliente, em que predomina o canal de venda em supermercados. O consumidor canadense tem poder de compra elevado e, culturalmente, já tinha o hábito de estocar alimentos e bebidas, então com o início da quarentena houve um primeiro momento de aumento da demanda, inclusive. Do lado de preços, estes também são bastante estáveis no país; a única questão é que, como os preços cobrados em supermercados são inferiores àqueles em bares e restaurantes, com o fechamento dos últimos o preço médio poderia cair, potencialmente impactando a receita do segmento. Estimamos um EBITDA de R$ 365 milhões, 11% superior na comparação anual, e margem de 24%.

“Entreter sem interromper” para reforçar a popularidade das marcas em meio à quarentena

Do lado positivo, a Ambev tem realizado diversas iniciativas para fortalecer a posição de suas marcas no mercado. Segundo o VP de marketing da companhia, Ricardo Dias, em entrevista ao Do Zero ao Topo, neste momento de crise, a prioridade da empresa, além de manter seus funcionários seguros, é garantir que o ecossistema de bares e restaurantes volte a ser saudável o mais rápido possível. A fim de fortalecer seu posicionamento de marca, a empresa tem realizado uma série de ações, como a promoção de lives com artistas famosos com patrocínio das marcas Brahma, Skol e Bohemia. Dessa forma, a empresa consegue implementar a estratégia de realizar marketing “entretendo o consumidor, ao invés de interrompê-lo”, conforme preconiza Dias.

No último dia 4 de abril, a dupla sertaneja Jorge e Mateus bateu recorde mundial de live musical mais vista no YouTube, com um público de 2,7 milhões de pessoas, sendo que o show foi promovido pela marca Brahma, que agora está lançando sua versão duplo malte. O recorde anterior também havia sido patrocinado pela Ambev: uma live do cantor sertanejo Gusttavo Lima na semana anterior teve 750 mil acessos simultâneos.

Dias ressaltou que “essa pandemia não veio para transformar o mundo, e sim para acelerar o que já estava acontecendo”. A Ambev já vinha pensando estrategicamente sobre marketing orgânico havia mais de um ano, mas a implementação das lives em si começou em Abril. Tal tática já vem rendendo bons frutos, conforme dados de popularidade das principais marcas da Ambev, medida pelo número de buscas no Google no Brasil.

Desde o início da quarentena oficial em São Paulo, em 24 de Março, até a primeira semana de Abril, o número de buscas pelas marcas Brahma, Skol e Bohemia estava abaixo do número do mesmo período no ano anterior.

A implementação da estratégia de lives foi o momento de virada: a partir de 4 de Abril, dia da live da dupla sertaneja Jorge e Mateus, o número de buscas atingiu um novo pico para o mês. O recorde de popularidade foi novamente quebrado no dia da live de Gusttavo Lima (16/04), sendo que nesse dia, o número de buscas pela marca Bohemia, da qual o cantor é embaixador, ultrapassou pela primeira vez o número de buscas da marca Brahma, campeã até então.

Fortalecimento dos canais online e iniciativas sociais

Outras iniciativas da Ambev para combater a crise do coronavírus incluem  a campanha da marca Stella Artois de apoio aos restaurantes. Por meio dessa iniciativa, os consumidores podem comprar vouchers de 100 reais com 50% de desconto, pagando apenas 50 reais, para usar no momento que os restaurantes reabrirem. A Ambev paga os outros R$ 50 do voucher, e o restaurante recebe no dia seguinte da compra do voucher.

A empresa também vem investindo nos canais online, por meio da expansão de seu serviço de entregas Zé Delivery e do seu ecommerce, o Empório da Cerveja. No caso desse último, a Ambev decidiu disponibilizar o site para que algumas microcervejarias pudessem vender suas cervejas na plataforma, evitando assim que elas perdessem seu principal canal de comercialização, os bares e restaurantes. Além disso, pensando em deixar os produtos ainda mais acessíveis, a Ambev tirou a margem de lucro do Empório, mantendo apenas o necessário para bancar os custos operacionais.

Adicionalmente, a empresa está (i) produzindo 1 milhão de unidades de álcool gel, usando o etanol de suas cervejarias; (ii) produzindo 3 milhões de máscaras para profissionais da saúde a partir do PET, material utilizado nas embalagens de Guaraná Antarctica; (iii) ampliando em 100 leitos o Hospital do M’boi Mirim, em São Paulo, em parceria com a Gerdau e o Hospital Albert Einstein.

Em suma, mantemos nossa recomendação Neutra para as ações da Ambev, com preço-alvo de R$ 15 por ação. Vemos com bons olhos as iniciativas de fortalecimento de marca por parte da empresa, mas (i) o segmento de cerveja deve ter um forte impacto negativo pela crise do coronavírus; (ii) o cenário competitivo continua acirrado; (iii) e os custos ainda bastante pressionados no curto prazo.

Atualmente, as ações da empresa negociam a 19x Preço/Lucro 2020, ligeiramente acima da média de seus pares internacionais de 18x, considerando Heineken (22x), Carlsberg (22x), Kirin (15x) e Molson Coors (13x), reforçando que as ações já são negociadas em patamares justos.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM